Coronavírus

Arsenal anuncia o despedimento de 55 funcionários

Neil Hall

"Quebras graves" nas receitas, devido à pandemia da Covid-19, obrigaram a um corte nos empregos.

Especial Coronavírus

O Arsenal vai despedir 55 funcionários devido a problemas financeiros causados pela pandemia da Covid-19, anunciou hoje o emblema londrino, vencedor da última Taça de Inglaterra de futebol.

Em comunicado, assinado pelo responsável pela área do futebol, Raul Sanllehi, e pelo diretor do clube, Vinai Venkatesham, os gunners explicaram que tiveram "quebras graves" nas receitas dos direitos de transmissão televisiva e, por isso, foram obrigados a fazer um corte de 55 empregos, que abrangem o departamento de futebol, mas também a parte comercial e administrativa.

"Tal como aconteceu com outros clubes de futebol e empresas ligadas as outras áreas, sofremos um impacto financeiro devido à Covid-19. As receitas da transmissão dos jogos e também das atividades comerciais nas partidas foram severamente afetadas e assim vai continuar na temporada 2020/21", lê-se no comunicado do Arsenal.

O clube lamentou os despedimentos, mas reforçou que tal medida é "obrigatória para reduzir custos e garantir que o Arsenal continue a funcionar de uma maneira sustentável e responsável".

"É forma de podermos também continuar a investir na nossa equipa e não perder o nosso nível de competitividade", frisou.

O Arsenal terminou a última edição da Premier League no oitavo posto, mas alcançou o apuramento para a Liga Europa depois de conquistar a Taça de Inglaterra, com uma vitória por 2-1 na final sobre o Chelsea.

A pandemia de Covid-19 já provocou mais de 701 mil mortos e infetou mais de 18,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.740 pessoas das 51.848 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.