Coronavírus

Índia ultrapassa os dois milhões de casos desde o início da pandemia

Rupak De Chowdhuri

O número de casos poderá estar subestimado, de acordo com especialistas, já que as autoridades indianas não testam os pacientes assintomáticos.

Especial Coronavírus

A Índia ultrapassou hoje os dois milhões de casos de Covid-19 diagnosticados no país desde o início da pandemia, segundo dados oficiais do Ministério da Saúde indiano.

O país registou um total de 41.585 mortes provocadas pelo novo coronavírus, além de 2.027.074 doentes confirmados.

Só nas últimas 24 horas, o país contabilizou 62.585 novas infeções, além de 886 óbitos.

Um estudo da Universidade de Stanford divulgado esta semana também alertou para a "forte disparidade na qualidade dos relatórios de dados da Covid-19" nos vários estados da Índia, com os investigadores a defenderem a criação de "uma agência central para monitorizar e auditar a qualidade da informação fornecida pelos estados".

A Índia é o terceiro país do mundo com o maior número de infetados, depois dos Estados Unidos e Brasil.

O gigante asiático é considerado vital para os esforços globais de vacinação, e já iniciou ensaios clínicos em humanos de duas das vacinas em perspetiva a nível mundial.

O maior fabricante mundial de vacinas, o Instituto Serum, na cidade de Pune, aumentou a sua capacidade para fabricar até mil milhões de doses de uma vacina em desenvolvimento pela AstraZeneca e pela Universidade de Oxford, em fase dois de ensaios na Índia e Inglaterra e na fase três no Brasil e África do Sul. Os investigadores esperam lançar a vacina de Oxford para utilização de emergência até outubro.

O fabricante Zydus Cadila, com sede na cidade de Ahmedabad, no estado indiano de Gujarat, também anunciou na quinta-feira que concluiu os ensaios da primeira fase de uma vacina baseada no ADN.

  • 15:42