Coronavírus

Brasil regista 572 mortes e mais de 23 mil infeções em 24 horas

Funcionários do cemitério Vila Formosa, em São Paulo, no Brasil, enterram os corpos das vítimas do novo coronavírus.

Andre Penner

São Paulo é o estado mais afetado pela doença.

Especial Coronavírus

O Brasil registou 572 mortes e 23.010 novas infeções provocadas pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, anunciou este domingo o Ministério da Saúde do país.

Na véspera, o maior país da América do Sul superou a marca de 100 mil óbitos na pandemia e, com os números atualizados hoje, contabiliza 101.049 óbitos.

O Brasil registou um total de 3.035.422 infeções provocadas pelo novo coronavírus.

O Ministério brasileiro da Saúde destacou que 2.118.460 pessoas já estão recuperadas da doença e outros 815.913 pacientes ainda estão a ser acompanhados.

São Paulo, o estado mais populoso e mais afetado pela doença no Brasil, já regista um total de 24.114 óbitos e 608.379 casos confirmados de covid-19.

Segue-se, em número de casos, o estado da Bahia, no nordeste do país, com 193.029 infeções, e depois o Ceará (185.542), localizado também na região nordeste.

Já em número de mortos, o Rio de Janeiro continua a ser o segundo estado brasileiro mais atingido, com 14.080 óbitos, seguido pelo Ceará (7.954).

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, que reiteradamente minimizou o perigo da covid-19, doença que chegou a classificar de "gripezinha", não se manifestou sobre a marca de 100 mil mortos alcançada pelo país no sábado, mas usou hoje as redes sociais para criticar a cobertura dos 'media' sobre esse marco.

O Brasil é o segundo país mais atingido pela doença no mundo, atrás apenas dos Estados Unidos em número de mortos (162.425) e de casos diagnosticados (mais de 4,9 milhões).

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 727 mil mortos e infetou mais de 19,6 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

  • 15:42