Coronavírus

Covid-19. Discotecas encerram em Espanha para prevenir novos focos de infeção

Javier Barbancho

País soma 337.334 infetados desde o início da pandemia.

Especial Coronavírus

A decisão foi consensual, todas as regiões espanholas vão encerrar os espaços de diversão noturna e proibir fumar em locais abertos, quando não é possível manter o distanciamento social, medida que já estava em vigor em duas das 17 regiões autónomas espanholas.

Os restaurantes deverão fechar à 01:00 e não poderão admitir clientes após a meia-noite.

Numa reunião de emergência das autoridades sanitárias das regiões espanholas, o ministro da Saúde, Salvador Illa, e os responsáveis regionais decidiram esta sexta-feira coordenar uma série de decisões da administração pública para travar os surtos do novo coronavírus, que se manifesta de "forma diferente" por toda a Espanha desde que terminou o estado de alarme, no dia 21 de junho.

O ministro não precisou a data de entrada em vigor das novas restrições.

O ministro da Saúde espanhol, Salvador Illa, também deixou o alerta para os ajuntamentos com mais de 10 pessoas, desaconselhando os jovens especificamente a reunirem-se na rua.

"O consumo de alcóol está proibido na via pública", disse o ministro da Saúde, instando as comunidades autónomas a aplicar sanções a quem o desrespeitar.

Espanha registou esta quinta-feira maior número diário de infetados desde o final de maio

Espanha registou esta quinta-feira o maior número de infeções de covid-19 desde o final de maio, com 2.935 novos casos nas últimas 24 horas, anunciou o Ministério da Saúde, ressalvando que o balanço inclui dados de Madrid relativos a quarta-feira.

Metade das pessoas a quem foi detetada a infeção nos últimos dias não apresenta sintomas, segundo avançou o epidemiologista Fernando Simon, em conferência de imprensa hoje realizada.

Espanha é o país que registou mais casos na Europa ocidental nas duas últimas semanas, com mais de 44 mil infeções, somando 337.334 infetados desde o início da pandemia.

Número de casos na Europa continua a aumentar