Coronavírus

Covid-19: Governo revela quando deverá começar a distribuir a vacina

Ivan Alvarado

"É uma luz que se começa a avistar ao fundo do túnel", disse o secretário de Estado da Saúde.

Especial Coronavírus

O Governo confirmou na quinta-feira que vai comprar quase sete milhões de vacinas para a covid-19. Esta sexta-feira, na habitual conferência de imprensa, o secretário de Estado da Saúde avançou com uma data para o início da vacinação em Portugal.

António Lacerda Sales afirmou que a distribuição deverá começar a ser feita a partir do final do ano, dependendo sempre da avaliação da Agência Europeia do Medicamento. Revelou ainda que, inicialmente, vão chegar a Portugal 690 mil doses.

"É uma luz que se começa a avistar ao fundo do túnel", disse o secretário de Estado.

O Governo foi o responsável pela compra da vacina, mas será a Direção-Geral da Saúde a determinar a estratégia da vacinação.

Segundo Graça Freitas, há dois grupos com prioridade: os mais vulneráveis, que serão pessoas de risco quer pela idade, quer pelas comorbilidades (doenças pré-existentes), e profissionais da saúde e do setor social.

Os cidadãos vão, por isso, ser vacinados à medida que chegam as doses da vacina e de acordo com a prioridade. Graça Freitas revelou ainda que a vacina poderá ser aplicada em mais do que uma dose.

Vacina para a covid-19 vai ser gratuita, garante o Governo

Macron acredita haver "perspetivas razoáveis" para uma vacina nos próximos meses

O Presidente francês, Emmanuel Macron, estimou esta quinta-feira existirem "perspetivas razoáveis" para que se obtenha "nos próximos meses" uma vacina para a pandemia de Covid-19, que provocou, à escala global, 787.918 mortos e infetou mais de 22,4 milhões de pessoas.

"Digo-o e é muito importante, numa altura em que várias vacinas estão na fase III [de testes em seres humanos], que tenhamos perspetivas razoáveis para se obter uma vacina nos próximos meses", disse Macron, numa conferência de imprensa conjunta com a chanceler alemã, Angela Merkel, em Fort de Brégançon, no sul de França.

"Isso não vai resolver os problemas das próximas semanas, mas sim nos próximos meses", acrescentou Macron, elogiando a coordenação europeia na investigação de uma vacina.

Corrida à vacina: "Os resultados que contam ainda estão para vir"

Miguel Castanho, investigador do Instituto de Medicina Molecular da Universidade de Lisboa, esteve esta quinta-feira na Edição da Noite, da SIC Notícias, para uma análise à corrida à vacina contra a Covid-19.