Coronavírus

Líder ortodoxo testa positivo depois de culpar homossexuais pelo aparecimento da Covid-19

Gleb Garanich

"Um castigo de Deus pelos casamentos do mesmo sexo", acusou Filaret.

Especial Coronavírus

As acusações remontam ao mês de março, quando praticamente todos os países europeus aplicavam pesadas medidas de restrição, que levaram ao confinamento da população, devido à propagação da Covid-19.

Filaret, patriarca da igreja Ortodoxa da Ucrânia, em entrevista a um canal televisivo do país, acusou os homossexuais de serem os responsáveis pela pandemia do novo coronavírus, assegurando que era "um castigo de Deus pelos casamentos do mesmo sexo", cita o Corriere Dela Serra.

Seis meses depois, a Igreja Ortodoxa da Ucrânia revela, através de uma publicação na página oficial do Facebook, que o patriarca de 91 anos acusou positivo para a Covid-19.

"A 4 de setembro, após terem sido detetados sintomas, o patriarca honorário Filaret testou positivo para a Covid-19", confirmou a igreja.

Foi ainda feito um pedido aos fiéis, para que rezem "pela saúde e recuperação" do patriarca, que se encontra "em condições satisfatórias".

Declarações são "muito perigosas"

Segundo o jornal italiano, a porta-voz da organização condenou as declarações de Filaret, considerando-as "muito perigosas", uma vez que "podem levar a uma escalada de ataques, agressão, discriminação e violência contra determinados grupos sociais, numa país onde os ataques homofóbicos já estão disseminados e o casamento de pessoas do mesmo sexo não é legalmente reconhecido".