Coronavírus

Segunda vaga de covid-19 em Portugal? "Temos que estar preparados hoje"

Entrevista a Tiago Correia, professor de Saúde Internacional do Instituto Higiene e Medicina Tropical, sobre a suspensão dos ensaios clínicos pela Astrazeneca e as medidas da situação de contingência a serem anunciadas em Conselho de Ministros.

Especial Coronavírus

Tiago Correira, professor de Saúde Internacional do Instituto de Higiene e Medicina Tropical, afirmou esta quarta-feira, em entrevista à SIC Notícias, que se criou uma falsa expetativa de que todas as fases das vacinas em teste iam seguir de forma linear, sublinhando que ninguém disse à partida quanto tempo o processo ia demorar.

Sobre a suspensão da vacina de Oxford, perspetiva que daqui a poucas semanas esteja tudo esclarecido e que o processo retome. O professor esclareceu ainda que este episódio não vem colocar nenhum problema à descoberta de uma vacina, mas que é uma prova de que estão a ser seguidos todos os procedimentos éticos e de segurança.

Em relação a uma segunda vaga de covid-19 em Portugal e à subida de casos positivos registada hoje, Tiago Correia diz que temos de estar preparados já para enfrentar uma escalada dos infetados, apontando o Conselho de Ministros desta quinta-feira como um momento decisivo para perceber como vai ser enfrentada a pandemia daqui para a frente, nomeadamente, após a entrada em vigor da situação de contingência.

Para isso, defende que o Governo devia adotar medidas inteligentes em saúde pública, isto é, descer a capacidade de tomar decisões à escala de freguesias. "Se não adotarmos medidas ao nível da freguesia que sejam eficazes, podemos estar a comprometer a adesão das pessoas", explicou.

O professor considera que é preciso ter uma definição de qual é o risco epidemiológico à escala local, argumentando que não se pode adotar as mesmas medidas a concelhos diferentes e dando como exemplo que num concelho sem casos positivos a população vai ter dificuldades em adotar as regras porque não sente essa necessidade. Este modelo, segundo diz, já foi adotadao por outros países.