Coronavírus

Farmacêutica alemã inicia segunda fase de ensaios clínicos de vacina contra a Covid-19

Kai Pfaffenbach / Reuters

Testes decorrerão no Peru e Panamá e terá um total de 690 participantes.

Especial Coronavírus

A empresa farmacêutica alemã CureVac anunciou ter iniciado a segunda fase de ensaios clínicos da sua vacina experimental para a covid-19.

"Um primeiro participante foi vacinado" através da aplicação da tecnologia patenteada da CureVac, baseada em moléculas de RNA de mensageiro (mRNA) encontradas no corpo humano, informou o laboratório, num comunicado divulgado na noite de terça-feira.

O estudo será conduzido no Peru e Panamá e terá um total de 690 participantes.

Os primeiros dados completos desta fase em pessoas mais idosas, que estão em maior risco, são esperados "no quarto trimestre" deste ano, disse a CureVac.

A terceira e última fase de testes deverá começar no quarto trimestre, esperando-se um máximo de 30.000 voluntários.

"O início da Fase 2 do ensaio clínico no Peru e Panamá é um passo importante no nosso programa de estudos clínicos da covid-19", apontou a diretora técnica da CureVac, Mariola Fotin-Mleczek.

A CureVac está entre as dezenas de laboratórios em todo o mundo na corrida para a potencial vacina contra o novo coronavírus.

A empresa foi recentemente cotada na bolsa eletrónica Nasdaq, com 150 milhões de dólares (128 milhões de euros) dos fundos angariados para financiar o desenvolvimento de uma vacina contra a covid-19.

A Comissão Europeia já reservou 225 milhões de doses da potencial vacinal da CureVac. Este é o quarto acordo deste tipo que a União Europeia (UE) celebrou com laboratórios.

Portugal com 1.963 mortes e mais de 74 mil casos de Covid-19

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou esta terça-feira a existência de um total de 1.963 mortes e 74.717 casos de covid-19 em Portugal desde o início da pandemia.

O número de mortes subiu de 1.957 para 1.963, mais 6 do que ontem - 5 na Região de Lisboa e Vale do Tejo e 1 na Região Centro.

O número de infetados aumentou de 74.029 para 74.717, mais 688 que na segunda-feira.

Mais de 1 milhão de mortos e 33,4 milhões de infetados

A pandemia de covid-19 já provocou mais de um milhão de mortos e mais de 33,4 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência de notícias France-Presse (AFP).

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

As vacinas mais promissoras no combate à Covid-19

Laboratórios por todo o mundo estão numa corrida contra o tempo para desenvolver uma vacina contra o novo coronavírus. Há dezenas de equipas a testar várias candidatas a vacina, algumas estão mais avançadas e são promissoras, mas os cientistas avisam que nenhuma deverá estar pronta antes do fim deste ano ou mesmo no próximo ano.

Segundo o London School of Hygiene & Tropical Medicine, (que tem um gráfico que mostra o progresso das experiências) há 243 projetos e 43 estão na fase de ensaios clínicos, sendo que 8 estão na fase III - que consiste na inoculação da vacina em milhares de voluntários a fim de determinar se impede de facto a infeção.

O projeto entre a Universidade de Oxford e a AstraZeneca é um dos mais promissores, a que se juntam os da Pfizer e da BioNTech, da Moderna e de vários projetos chineses, nomeadamente da CanSinoBIO que já obteve autorização para administrar a vacina em militares chineses.

A Comissão Europeia participa no mecanismo COVAX para um acesso equitativo às vacinas contra a Covid-19 a preços acessíveis.

Links úteis

Mapa com os casos a nível global