Coronavírus

Pandemia já fez mais de 35 milhões de infetados em todo o mundo

ABIR SULTAN

Dos quais mais de 26 milhões recuperaram, mas mais de um milhão morreram.

Especial Coronavírus

O último balanço da pandemia regista mais de 35 milhões de infetados em todo o mundo, dos quais mais de 26 milhões recuperaram, mas mais de um milhão morreram.

Estados Unidos da América, Índia, Brasil, Rússia e Colômbia são, por agora, os mais afetados.

Mas nem todos os habitantes, em todos os países, aceitam a continuação de determinadas normas como a proibição de se manifestar nas ruas.

Protestos nas ruas de Israel

Os protestos têm meses, mas desde quarta-feira que grupos nas ruas de Israel só até 20 pessoas e com distanciamento social.

O novo regulamento decidido pelo Governo de Benjamin Netanyahu diz ainda que a população está limitada a sair até um quilómetro de casa.

O objetivo oficial é o de tentar conter a propagação do coronavírus, mas a medida não agrada e há quem acuse o primeiro-ministro, envolvido num processo de corrupção, de não saber gerir o país em tempo de pandemia.

O resto do mundo

Da Índia e da África do Sul é conhecida agora uma carta conjunta, com data de dia 2. Pedem à Organização Mundial do Comércio que renuncie as regras de propriedade intelectual de modo a facilitar a produção ou importação de medicamentos para o tratamento da covid-19 por parte dos países em desenvolvimento.

Lembram que os direitos de propriedade intelectual, incluindo patentes, podem ser uma barreira para o fornecimento de medicamentos a preços acessíveis.

E a Europa?

Na Rússia, o número de novos casos continua a aumentar. Só nas últimas 24 horas houve mais de 10 mil infeções. Apesar do aumento, o Governo russo não prevê ainda um segundo confinamento.

Em Itália, passa a ser obrigatório o uso de máscara na rua. Já em Espanha, o Governo está a apostar na desinfeção das ruas.

  • 0:57