Coronavírus

Covid-19. Itália atinge novo máximo de casos diários

emanuele Valeri

O pico anterior de contaminações tinha sido a 21 de março, na altura com 6.557 casos.

Especial Coronavírus

A Itália contabilizou esta quarta-feira um novo máximo de novas infeções com 7.332 nas últimas 24 horas, elevando o número total de casos para 372.799 desde que a pandemia do novo coronavírus começou no país em fevereiro, anunciou o Ministério da Saúde.

O pico anterior de contaminações tinha sido a 21 de março, na altura com 6.557 casos, sendo que naquele dia foram realizados 26.300 exames, embora nesta quarta-feira tenham sido realizados 152.196 testes.

Das 7.332 novas infeções, 1.844 são da Lombardia, a região mais afetada pela pandemia, seguida pela Campânia (818), Veneto (657) e Toscana (575).

Nas últimas 24 horas, morreram 43 pessoas, aumentando o número total de óbitos para 36.289 desde fevereiro.

Existem atualmente 92.445 pacientes com a covid-19 no país, dos quais 549 estão em unidades de cuidados intensivos e 5.470 em hospitais, enquanto os restantes estão em casa, com sintomas leves ou assintomáticos.

O apelo do Governo de Itália

O Governo italiano apelou à responsabilidade nos últimos e pediu aos cidadãos para que não parassem de tomar medidas preventivas para evitar que a curva de transmissão disparasse.

Recentemente, o Governo estendeu o estado de emergência até 31 de janeiro para fazer frente à pandemia, com a aprovação de decretos urgentes como o de terça-feira, que prevê o encerramento antes da meia-noite de estabelecimentos públicos como bares e restaurantes, e às 21:00 os que não tenham serviço de mesa, com o objetivo de evitar aglomerações de pessoas que bebem nas ruas.

Também estão proibidos os jogos de desportos de contacto entre amigos, como o futebol e basquetebol, assim como a realização de festas privadas em locais públicos e discotecas ou ao ar livre, ou dentro de casa, e excursões escolares.

Pandemia já fez mais de um milhão de mortes

A pandemia de covid-19 já provocou mais de um milhão e oitenta e sete mil mortos e mais de 38,2 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.