Coronavírus

Covid-19. YouTube remove vídeo que condenava o uso de máscara no Brasil

Vídeo era de uma fundação ligada ao Ministério de Relações Exteriores do Brasil.

Especial Coronavírus

O Youtube removeu um vídeo, de uma fundação ligada ao Ministério de Relações Exteriores do Brasil, que desaconselhava o uso da máscara para prevenir a covid-19.

A plataforma de vídeos informou que tem políticas claras sobre o tipo de conteúdo que pode ser publicado e não permite conteúdos que incentivam atividades que possam causar danos físicos graves ou morte.

No vídeo, um fucnionário do Governo brasileiro afirmava que a máscara, além de não ajudar no combate à pandemia, também é nociva e causa problemas de saúde, sem apresentar provas para contrariar a Organização Mundial da Saúde e grande parte dos especialistas que defendem o uso massivo deste tipo de proteção.

O proprietário do canal tem até 30 dias para contestar a decisão da plataforma.

PAÍS LUSÓFONO MAIS AFETADO PELA PANDEMIA

O Brasil é o país lusófono mais afetado pela pandemia e um dos mais atingidos no mundo, ocupando a segunda posição mundial na lista de nações com maior número total de mortes e a terceira na dos países com mais infeções.

O foco da pandemia no país continua a ser São Paulo, o estado mais rico e populoso do país, com 46 milhões de habitantes, sendo seguido pela Bahia, Minas Gerais e Rio de Janeiro.

Já as unidades federativas com mais mortes são São Paulo, Rio de Janeiro, Ceará e Pernambuco.

A taxa de transmissão do novo coronavírus no Brasil, país lusófono mais afetado pela pandemia e um dos mais atingidos no mundo, manteve-se abaixo de um pela terceira semana seguida, segundo dados da Imperial College London, referência no acompanhamento de epidemias.

O índice registado no país sul-americano é agora de 0,93, ou seja, cada 100 infetados transmitem o vírus para outros 93 que, por sua vez, o transmitem para mais 92, reduzindo progressivamente o alcance da doença.