Coronavírus

Covid-19: Polícia francesa faz buscas no gabinete do ministro da saúde

IAN LANGSDON / POOL

Dezenas de queixas têm sido apresentadas contra ministros do Governo francês.

Especial Coronavírus

A polícia francesa está esta quinta-feira a fazer buscas em residências e gabinetes do ministro da Saúde e de outros dirigentes, no âmbito de uma investigação à resposta governamental à pandemia no novo coronavírus, anunciou o Ministério da Saúde.

Segundo um comunicado do ministério, as buscas, que decorreram "sem dificuldade", incluíram os escritórios do atual ministro da Saúde, Olivier Veran, do diretor-geral da Saúde, Jérôme Salomon e de outra responsável da saúde.

A investigação surge na sequência de uma queixa apresentada junto do Tribunal de Justiça da República (TJR), única instância habilitada para julgar atos cometidos por membros do Governo no exercício das suas funções.

Dezenas de queixas contra ministros

Desde o início da pandemia, foram apresentadas 90 queixas contra ministros no TJR.

Apenas nove delas foram aceites, nomeadamente contra Véran, o antigo primeiro-ministro, Edouard Philippe, a ex-ministra da Saúde Agnès Buzyn ou o ex-porta-voz do Governo Sibeth Ndiaye.

As audições dos queixosos, incluindo representantes de uma associação de médicos, começaram em setembro.

As queixas apontam nomeadamente "a incoerência das medidas" tomadas ou a "ausência da aplicação das recomendações da OMS".

A procuradoria de Paris, que recebeu dezenas de queixas visando responsáveis da administração, abriu a 9 de junho um vasto inquérito preliminar, nomeadamente por "homicídio involuntário" ou "por pôr em perigo a vida de outros".

A associação Vítimas Coronavírus França, que reúne 200 pessoas, apresentou em setembro uma queixa no TJR contra o primeiro-ministro, Jean Castex, argumentando que o Governo continua a "navegar à vista" face à pandemia que já fez mais de 33 mil mortos em França.