Coronavírus

Covid-19 deixa hospitais sob pressão. Como está a lotação das unidades em Lisboa?

Médicos avisam que recursos humanos não chegam para o número de camas.

Especial Coronavírus

O aumento de casos covid-19 está a aumentar a pressão nos hospitais. Os médicos temem que a rutura possa estar iminente, não por falta de camas, mas por falta de recursos humanos.

A urgência do Hospital Fernando da Fonseca, na Amadora, teve de recusar pacientes, na última madrugada. No Garcia de Orta, em Almada, há 52 doentes internado com o novo coronavírus, 11 deles em medicina intensiva.

O Beatriz Ângelo, em Loures, que na semana passada foi obrigado a transferir dois doentes para outro hospital de Lisboa, tem esta quinta-feira, 63 os pacientes com covid-19, mais dois do que há 24 horas e está perto de exceder a capacadidade de internamento na duas alas destinadas à pandemia.

No Curry Cabral, em Lisboa, estão internados 72 doentes. No Santa Maria,em Lisboa, os doentes infetados ocupam três enfermarias e uma Unidade Cuidados Intensivos que ainda não atingiram a lotação máxima.