Coronavírus

Covid-19. Surto em contingente de militares de partida para República Centro-Africana

(Reuters/arquivo)

Militares infetados não vão embarcar no voo na madrugada de terça-feira.

Especial Coronavírus

13 dos 110 militares do contingente português que irá partir na madrugada de terça-feira para a República Centro-Africana (RCA) estão infetados com o novo coronavírus, informou esta segunda-feira fonte do exército.

Numa nota enviada à agência Lusa, a porta-voz do exército, tenente-coronel Ana Silva, informa que os militares que se encontravam em isolamento desde o passado dia 20 de outubro no Regimento de Infantaria n.º 10 em São Jacinto, Aveiro, foram testados para a covid-19, tendo havido 13 resultados positivos.

"Apesar de todos os militares estarem assintomáticos, de acordo com as orientações da Direção-Geral da Saúde e das Nações Unidas, os 13 militares não irão embarcar no voo de projeção da Força, estando a ser avaliada a sua situação", refere a mesma nota.

Os restantes 97 militares partem às 00:30 de terça-feira, do aeroporto de Figo Maduro, juntando-se aos restantes 70 que já se encontram na RCA desde 8 de outubro.

MISSÃO NA REPÚBLICA CENTRO-AFRICANA

Estes militares integram a 8.ª Força Nacional Destacada (FND) para a Missão Multidimensional Integrada das Nações Unidas para a Estabilização na República Centro-Africana (MINUSCA).

A 8.ª FND/RCA é constituída maioritariamente por militares do Batalhão de Comandos e integra militares de outras Unidades do Exército, sendo composta por 180 militares, 177 do Exército e 3 da Força Aérea.

A Força Portuguesa irá constituir-se como a Força de Reação Rápida no âmbito da MINUSCA.

Veja também:

  • 1:41