Coronavírus

Covid-19: Comissão Europeia divulga previsões marcadas por segunda vaga

Foram implementadas todas as medidas de segurança, nesta que será a primeira reunião com a presença dos líderes europeus desde fevereiro.

Francisco Seco

As previsões macroeconómicas de outono de Bruxelas serão divulgadas esta manhã.

Especial Coronavírus

A Comissão Europeia publica esta quinta-feira as suas previsões macroeconómicas de outono, em altura de segunda vaga de covid-19, devendo piorar as previsões do PIB e prever uma recuperação mais lenta da economia devido ao agravamento da situação sanitária.

Com vários países da União Europeia (UE) a imporem novamente medidas restritivas para tentar conter o ressurgimento das infeções com o novo coronavírus - como novos confinamentos e encerramento de estabelecimentos de comércio e restauração -, o executivo comunitário atualiza hoje as suas projeções para a economia, que têm vindo a ser agravadas desde o início da pandemia, em março passado.

Nas últimas previsões económicas, as intercalares de verão, a Comissão Europeia reviu em baixa face ao anteriormente previsto as projeções para a economia da zona euro este ano devido à pandemia de covid-19, passando a estimar uma contração de 8,7% do Produto Interno Bruto (PIB).

Assim, o executivo comunitário, que em maio passado projetava para este ano uma contração já recorde, de 7,7% do PIB no espaço da moeda única, passou a prever um recuo de 8,7%, apenas parcialmente compensado em 2021 com um crescimento de 6,1% (também uma revisão em baixa face à primavera, quando apontava para 6,3%).

Estes números deverão voltar a piorar nas estimativas que serão hoje divulgadas.

Isso mesmo previu esta semana o Eurogrupo, que defendeu que o aumento acentuado nas novas infeções de covid-19 na Europa e as novas medidas restritivas adotadas "aumentaram ainda mais a incerteza" sobre a economia da zona euro e "deverão pesar" na recuperação.

As previsões macroeconómicas de outono da Comissão Europeia serão divulgadas às 11:00 (hora de Bruxelas, menos uma em Lisboa) numa conferência de imprensa do comissário europeu da Economia, Paolo Gentiloni.

  • 0:43