Coronavírus

Profissionais de saúde do Hospital de Barcelos obrigados a trocar de farda em pavilhão municipal

Luís Dinis

Luís Dinis

Repórter de Imagem

António Soares

António Soares

Edição de Imagem

A Ordem dos Enfermeiros critica a medida por não dignificar estes trabalhadores.  

Especial Coronavírus

Por causa da pandemia de covid-19, a administração do Hospital de Barcelos proibiu enfermeiros, médicos e auxiliares de entrarem no hospital com a roupa que trazem de casa.

Desde março, os profissionais de saúde são obrigados a fardarem-se e desfardarem-se num pavilhão municipal, que atualmente partilham com atletas, embora os balneários sejam de uso exclusivo dos profissionais de saúde.

O percurso até ao hospital é feito ao ar livre e sujeito às condições climatéricas.

A Secção Regional do Norte da Ordem dos Enfermeiros recebeu uma queixa de um grupo de profissionais.

À SIC, contam que aceitaram a medida por ser provisória, mas, ao fim de oito meses, estão cansados e exigem condições mais dignas. Até porque consideram que esta situação acarreta grandes riscos de saúde pública.

A administração explica que a medida foi tomada porque o hospital, construído em 1973, não tem condições físicas que permitam cumprir as medidas de mitigação da covid-19.

O hospital sublinha que o pavilhão tem um acesso direto às instalações e que durante vários meses não estava a ser utilizado por mais ninguém. O contacto com outras pessoas será pontual e acidental porque há circuito definidos.

A administração do hospital Santa Maria Maior, em Barcelos, garante ainda que está a elaborar um novo plano de contingência para o período de inverno e que está em curso a mudança dos vestiários para o interior do edifício.

  • 3:09