Coronavírus

Covid-19. Sobe para 148 o número de reclusas infetadas na prisão de Tires

Notícia SIC

Quatro guardas prisionais, duas enfermeiras e duas crianças, filhas de reclusas, também testaram positivo.

Especial Coronavírus

O surto de Covid-19 no Estabelecimento Prisional de Tires regista 148 reclusas infetadas com o novo coronavírus.

Quatro guardas prisionais, duas enfermeiras e duas crianças, filhas de reclusas, também testaram positivo à Covid-19.

Várias rotinas foram alteradas, com as reclusas a serem obrigadas a comer na própria cela e a terem apenas duas horas a céu aberto, de forma alternada.

As reclusas queixam-se de falta de condições e falam em violações dos Direitos Humanos e um grupo de advogados está a ponderar avançar com uma ação em tribunal.

Esta segunda-feira, a ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, garantiu que estão a ser tomadas medidas energéticas para combater o surto na cadeia feminina de Tires.

Van Dunem informou o Parlamento que “todos os guardas, trabalhadores e reclusas foram já testadas” e que “as reclusas que estão infetadas estão separadas” das restantes.

Segundo avançou a ministra, a maioria dos infetados estão assintomáticos e não foi ainda identificada a origem do contágio. Mas Van Dunem garante que o plano de contingência para o sistema prisional é rigoroso, e que tudo está a ser feito para estancar o problema.

A ministra disse ainda que este surto veio acabar com o “milagre português”. Durante a audição sobre o Orçamento do Estado, a ministra fez lembrar que até agora não tinha ocorrido nenhum surto nas prisões portuguesas, ao contrário do que aconteceu noutros países europeus. “O caso português era um caso emblemático no contexto das nações europeias”, disse.

ANTÓNIO PEDRO SANTOS