Coronavírus

Portway começou rescisões amigáveis mas sindicato diz que trabalhadores estão a ser ameaçados

Com a redução do trafego aéreo, os funcionários temem que sejam despedidos mais de 200 trabalhadores a nível nacional.

Especial Coronavírus

A empresa de assistência em escala Portway, que atua em vários aeroportos nacionais, está a avançar com rescisões amigáveis com os trabalhadores no aeroporto de Faro.

No entanto, o Sindicato dos Trabalhadores da Aviação considera que os moldes seguidos são eticamente reprováveis e avança que os trabalhadores estão a ser ameaçados com um despedimento coletivo caso não aceitem a proposta da empresa.

Muitos dos 300 funcionários estiveram em lay-off, mas agora a empresa quer reduzir 50 postos de trabalho em Faro. No entanto, os trabalhadores temem que 200 postos de trabalho possam estar em causa em todo o país. O sindicato da aviação promete estar atento.

A pandemia tem afetado a quebra de tráfego entre os 70 e 80%. Com o novo pico de casos, há menos passageiros a chegar e a partir e menos aviões no ar. O principal mercado da Portway são as low costs, companhias que têm sido especialmente atingidas durante a crise pandémica.

Veja também: