Coronavírus

Número de transplantes cai a pique durante a pandemia

Com o evoluir da pandemia, a situação poderá agravar-se nos próximos meses.

Especial Coronavírus

Nos primeiros meses da pandemia, o número de transplantes caiu a pique devido à pandemia de Covid-19 e à ocupação dos cuidados intensivos.

"O que nos preocupa é realmente a queda brutal que houve: p exemplo, nos primeiros três meses de confinamento qualquer coisa como 55% nos transplantes de dador cadáver e quase 80% de dador vivo. Isto é muito significativo”, explica Aníbal Ferreira, presidente da Sociedade Portuguesa de Nefrologia (SPN).

A situação não é igual em todos os hospitais do país, mas a SPN admite que a queda do número de transplantes poderá agravar-se até ao final do ano, devido ao evoluir da pandemia.

“Neste momento, com o evoluir da pandemia, é óbvio que os números ainda vão ser piores provavelmente neste trimestre até dezembro”, acrescenta.

Veja também:

  • Não estou de acordo

    Opinião

    Não estou de acordo com métodos medievais para enfrentar uma pandemia. Se os vírus evoluíram, a organização da sociedade também deveria ter evoluído o suficiente para os combater de outra forma. O recolher obrigatório é próprio dos tempos obscuros e das sociedades não democráticas. Proibir as pessoas de circular na rua asfixia a economia e não elimina a pandemia.

    José Gomes Ferreira