Coronavírus

França ultrapassa Rússia e é agora o país europeu com mais casos de Covid-19

Em Itália, várias regiões já ultrapassaram o limite nos cuidados intensivos.

Especial Coronavírus

França poderá reabrir o comércio em dezembro, caso a curva de novos casos começa a achatar. O primeiro-ministro francês irá falar esta quinta-feira ao país, mas já disse que não é altura para baixar a guarda. Também Emanuelle Macron se reuniu com o comité de urgência para a Covid-19.

A França tem cerca de 32 mil pessoas internadas e é o país europeu com mais casos, destronando a Rússia.

Moscovo é o epicentro da pandemia na Rússia e vai impor medidas restritivas esta sexta-feira. Cerca de 12 mil doentes estão internados e a capacidade máxima dos hospitais pode ser atingida em breve, uma vez que a Rússia tem vindo a atingir cada vez mais pico diário de Covid-19.

Itália ultrapassou a barreira de um milhão de casos, mas num lar, no norte do país, foi encontrada uma forma para encurtar a distância afetiva causada pela pandemia. As salas dos abraços permitem aos familiares trocarem carinhos com os seus entes queridos em segurança.

52% dos internados do país estão infetados com Covid-19, o que representa cerca de 29.500 pessoas. Em várias regiões já foi ultrapassado o limite nas unidades de cuidado intensivo. Enquanto os médicos pedem mais medidas restritivas, o primeiro-ministro descarta, para já, um confinamento nacional.

Na Alemanha, o número de infeções não dá sinais de abrandar. Registaram-se mais cerca de 3.400 novos casos. Em Berlim, a sobrelotação dos hospitais já é uma realidade. Em outras regiões o vírus pode também ficar descontrolado, alerta o ministro alemão da Saúde.

A Suécia tem tido uma atitude pouco restritiva no combate ao novo coronavírus. No entanto, nos últimos dias as visitas a lares na cidade de Estocolmo foram proibidas, depois de ter surgido um surto de Covid-19. Também a venda de bebidas alcoólicas passa a ser proibida a partir das 22h00.

Na Ucrânia, o presidente está infetado com o novo coronavírus e foi internado por precaução. Tem sintomas ligeiros e vai continuar a trabalhar a partir do hospital. O país atingiu um máximo diários de infeções, tendo também ultrapassado os 500 mil casos.

  • 3:09