Coronavírus

Covid-19. Doentes de baixo risco com sequelas nos órgãos ao fim de 4 meses

Estudo britânico sobre o impacto a longo prazo da covid-19 nos órgãos humanos. 

Especial Coronavírus

Quase 70% dos infetados pela covid-19 considerados de "baixo risco" ficaram com sequelas em órgãos, como o coração, pulmões, fígado ou pâncreas, quatro meses após contraírem a doença.

A conclusão é de um estudo do jornal britânico The Guardian, que quis avaliar o impacto a longo prazo da covid-19 na saúde dos órgãos humanos em doentes de "baixo risco".

Cerca de 500 pacientes, com uma idade média de 44 anos, foram sujeitos a ressonâncias magnéticas, análises ao sangue, medições físicas e questionários.

Os dados preliminares revelam que quase 70% dos indivíduos apresentaram sequelas num ou em mais órgãos, incluindo coração, pulmões, fígado e pâncreas, quatro meses depois de terem testado positivo ao novo coronavírus.