Coronavírus

Covid-19. Hospital Garcia de Orta faz acordo com privados para manter cirurgias

Os blocos operatórios do hospital de Almada foram transformados em unidades de cuidados intensivos para doentes Covid-19.

Saiba mais...

O hospital Garcia de Orta contratou blocos operatórios a dois hospitais privados para libertar espaço nas alas de internamentos de doentes infetados pelo novo coronavírus. Ao mesmo tempo, esta medida permite manter as cirurgias a doentes não-Covid-19. Os médicos do hospital de Almada já estão a operar nestes privados.

Os blocos operatórios do hospital do SAMS, mais conhecido como hospital dos banqueiros, e da clínica de São João de Deus foram contratados para manter as cirurgias não-Covid-19 que arriscavam ficar suspensas. Por dia serão operados entre cinco a seis doentes.

Desta forma, o hospital de Almada pode transformar os blocos operatórios em unidades de cuidados intensivos para doentes infetados com o novo coronavírus.

No hospital SAMS serão realizadas as cirurgias gerais e ortopédicas, enquanto a clínica de São João de Deus se dedica às operações das especialidades de maxilo-facial e otorrino. Em ambos os casos são as equipas do hospital de Almada que irão aos privados realizar à cirurgia.

  • Vamos falar de jejum: era capaz de ficar 16 horas por dia sem comer?

    País

    O jejum intermitente é um regime alimentar que impõe um período de restrição alimentar. Existem vários modelos, mas o mais conhecido é dividido em 16 horas de jejum e oito horas em que pode comer livremente. Os especialistas reconhecem benefícios nesta prática, mas afirmam que a investigação científica ainda é escassa.

    Exclusivo Online

    Filipa Traqueia