Coronavírus

Ministra da Saúde diz que situação nos cuidados intensivos é "complexa e grave" 

"Podemos expandir no limite máximo até mil camas", afirma Marta Temido.

Especial Coronavírus

A ministra da Saúde admite que a "situação é grave" nos cuidados intensivos. Em entrevista ao jornal Público e à Rádio Renascença, emitida esta quinta-feira à noite, Marta Temido aponta os mil internamentos nestas unidades como o número limite, mas já com prejuízo na resposta a praticamente todas as outras patologias.

Cuidados intensivos sob pressão. Ordem dos Médicos pede gestão nacional

A resposta à pandemia de covid-19 deve ser à escala nacional e não regional e requer planeamento, defende o presidente do Colégio de Medicina Intensiva da Ordem dos Médicos. Ou seja, os doentes críticos podem ser transferidos para hospitais com menos sobrecarga.

José Artur Paiva diz que estabelecer prioridades nos cuidados intensivos não é escolher entre doentes críticos não covid e infetados pelo novo coronavírus, pois ambos têm o mesmo direito a tratamento.

Na perspetiva do especialista, planeamento é ter uma estratégia prévia de transferências, de forma a não sobrecarregar só alguns hospitais, uma vez que a incidência da doença difere de região para região e os meios são finitos.