Coronavírus

Portugal regista 87 mortos e 4.868 casos de Covid-19 nas últimas 24 horas

Portugal atinge novo máximo de doentes em cuidados intensivos.

Especial Coronavírus

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 4.868 casos de infeção e mais 87 mortes associadas à doença covid-19, segundo o boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS) deste sábado.

Desde o início da pandemia morreram em Portugal 4.363 pessoas, dos 290.706 casos de infeção confirmados.

Há mais 3 doentes internados nas Unidades de Cuidados Intensivos, totalizando 529. Em relação aos internamentos em enfermaria, há menos 53 pessoas internadas, totalizando agora 3.155.

A DGS revela que estão ativos menos 2.048 casos de infeção em relação a sexta-feira, num total de 80.068. Foram dados como recuperados mais 6.829 doentes, 206.275 desde o início da pandemia.

As autoridades de saúde têm agora sob vigilância 80.485 pessoas, menos 228.

Das 87 mortes registadas nas últimas 24 horas, 42 ocorreram na região Norte, 29 na região de Lisboa e Vale do Tejo, 11 na região Centro, quatro no Alentejo, uma no Algarve.

O Norte continua a ser a região do país a contabilizar o maior número de casos e de novas infeções diárias, concentrando nas últimas 24 horas cerca de 51% dos novos casos de covid-19, seguido de Lisboa e Vale do Tejo.

Fim de semana de recolher obrigatório e sem circulação entre concelhos

A medida de restrição de circulação entre concelhos entrou em vigor às 23h00 de sexta-feira e a fiscalização vai ser apertada até quarta-feira.

As restrições impostas pelo Governo querem evitar o aumento de infeções por covid-19 durante os próximos fins de semana e feriados. Para que tal aconteça, a PSP apela a que os condutores verifiquem, antes de se deslocarem, se têm justificação para o fazer mediante as exceções previstas.

Profissionais de saúde, forças de segurança e políticos estão entre os grupos livres de restrições. A polícia vai continuar nas estradas de todo o país até às 05h00 da próxima quarta-feira.

Os 127 concelhos classificados como de risco "extremamente elevado" e de risco "muito elevado" de contágio pelo novo coronavírus voltam a ter recolher obrigatório a partir das 13h00 durante o fim de semana e no feriado de terça-feira.

É, por isso, proibida a circulação na via pública entre as 13h00 e as 05h00, tanto sábado, como domingo e no feriado de terça-feira.

Afinal, quem vão ser os primeiros a receber a vacina contra a Covid-19?

Os funcionários e utentes dos lares, os profissionais de saúde e de segurança e doentes com doença grave, independentemente da idade, serão dos primeiros a receber a vacina contra a Covid-19.

A certeza foi dada pelo coordenador do grupo responsável pela estratégia de vacinação, um dia depois da comissão técnica ter entregue um parecer ao Ministério, ainda provisório, sobre os grupos que devem ser vacinados.

Este parecer baseia-se nos dados, ainda incompletos, que a Agência Europeia do Medicamento dispõe sobre as vacinas. Por isso, ainda não coloca nos grupos prioritários os idosos sem doenças acima dos 75 anos.

Quando houver a aprovação das vacinas, a Agência Europeia do Medicamento definirá se há limites etários à sua administração, explicou Lacerda Sales, secretário de Estado da Saúde.

O coordenador do grupo que vai definir a estratégia da vacinação afirma que serão cerca de um milhão as pessoas dos grupos prioritários a vacinar na primeira fase.