Coronavírus

Estado de emergência. Presidente da República fala ao país na sexta-feira 

RUI OCHÔA

Medidas para o Natal e passagem de ano deverão ser conhecidas esta semana.

Saiba mais...

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, fala ao país na próxima sexta-feira, dia 4, às 20:00, depois de o Parlamento aprovar a renovação do estado de emergência, para fazer face à pandemia de covid-19.

A notícia é avançada pela Rádio Renascença, que adianta que o decreto, divulgado na quinta-feira, está a ser preparado e deverá ser semelhante ao que está atualmente em vigor.

O atual período de emergência termina às 23:59 de 8 de dezembro. Se for renovado por mais 15 dias, o novo estado de emergência terá início às 00:00 de 9 de dezembro e vai terminar às 23:59 de dia 23 de dezembro.

Perante a proximidade com a época festiva, Marcelo Rebelo de Sousa já assegurou que os portugueses não terão de esperar pela avaliação do que acontece nesses 15 dias "para saberem o que é que vão fazer durante o Natal".

"Embora para cumprir a Constituição o prazo de renovação do estado de emergência, o próximo, a haver, termine às 23:59 do dia 23 (de dezembro), parece de bom senso que antecipadamente os portugueses saibam como podem organizar aquele fim de semana de Natal: 24, 25, 26, 27", afirmou.

Esta quinta-feira, os líderes políticos, parceiros sociais e especialistas reúnem-se, no Infarmed, em Lisboa, para mais uma reunião sobre a situação epidemiológica da covid-19 em Portugal.

Depois da reunião, o Presidente da República enviará o decreto de renovação do estado de emergência para o Parlamento, onde vai ser discutido na sexta-feira.

O Conselho de Ministros deverá reunir após a decisão da Assembleia da República para discutir as medidas do novo estado de emergência. Estas medidas deverão ser aplicadas até ao fim do ano, ou seja, vão incluir o Natal e a passagem de ano.

OMS avisa que estar com a família e amigos no Natal é colocar em risco a saúde de todos

A Organização Mundial de Saúde diz que não é tempo de as pessoas se aproximarem e que as comemorações têm de ser adaptadas.

Apontando para a época festiva de dezembro, comum a "muitas culturas e países", o diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Ghebreyesus, afirmou esta segunda-feira que "estar com família e amigos não justifica colocar ninguém em risco".

"A pandemia mudará como se celebra, mas não significa que não se possa celebrar", declarou, defendendo que um dos cuidados principais será evitar viagens e recomendando que se celebre dentro de cada agregado familiar "evitando ajuntamentos com agregados familiares diferentes".

Se se juntarem vários agregados, deverão fazê-lo "no exterior, se possível", e devem também evitar-se "centros comerciais cheios", optando por alturas em que haja menos aglomerados ou por fazer compras pela Internet.