Coronavírus

Covid-19. Empresários em vigília pela restauração veem nas medidas anunciadas uma mão cheia de nada

Várias associações do Comécio, Hotelaria e Restauração consideram que as medidas apresentadas pelo Governo para o Natal e Ano Novo não resolvem os problemas económicos das empresas.

O alívio da restrições no Natal e no Ano Novo, depende da diminuição do contágio até ao dia 18.

Nos dias 24 e 25 os restaurantes podem servir almoços e estão autorizados a funcionar até às 01:00. No dia 26, sábado, encerram à 15:30.

Em vigília pela restauração no Porto, desde quinta-feira, os empresários veêm, nas medidas apresentadas por António Costa, uma mão cheia de nada. E no comércio o discurso é marcado pela situação económica das empresas.

A Ordem dos Médicos já veio dizer que a prevenção é fundamental nas próximas semanas.

  • A árdua experiência com a sustentabilidade 

    Mundo

    E se alguém lhe dissesse que passaria a viver num quarto, com eletricidade apenas para pequenos utensílios domésticos, sem aquecimento central, ar condicionado ou água quente. Teria apenas três conjuntos de roupa, sem máquina de lavar ou secar, faria dieta local sem produtos de origem animal e não andaria de automóvel nem de avião?

    Opinião

    João Abegão