Coronavírus

Covid-19: Dinamarca encerra restauração, escolas e locais de lazer em quase todo o país

Canva

O Governo dinamarquês anunciou medidas para conter a pandemia que vão entrar em vigor a 9 de dezembro.

Especial Coronavírus

O Governo dinamarquês anunciou hoje o encerramento, a partir de 09 de dezembro, das escolas a partir do 5.º ano, restaurante e bares em 38 cidades, incluindo as três maiores do país, devido ao aumento de casos de Covid-19.

Os alunos do ensino secundário e superior vão ter de recorrer ao ensino à distância, enquanto as creches e as escolas até ao 5.º ano de escolaridade não vão ser afetadas pelas restrições, que vigoram até 3 de janeiro.

Restaurantes, bares e cafés vão fechar, embora possam fazer entregas ao domicílio, assim como os teatros, cinemas, ginásios e instalações desportivos, exceto para desportos profissionais.

Os funcionários públicos, com exceção para os que desempenham funções essenciais, vão trabalhar à distância e essa mesma recomendação vai ser feita às empresas privadas, de acordo com o pacote de medidas apresentado hoje, que vai afetar, entre outras, as três cidades mais populosas do país: Copenhaga, Aarhus e Odense.

"Estamos num momento muito sério. O contágio é muito alto e a evolução é preocupante. Temos de intervir para controlar os contágios e a pandemia", afirmou hoje a primeira-ministra, Mette Frederiksen, em conferência de imprensa.

A chefe do Executivo informou ainda que vão ser prolongadas até 28 de fevereiro as restrições já em vigor, como as reuniões públicas até 10 pessoas e o uso obrigatório de máscaras nos transportes, supermercados e instituições públicas.

As autoridades dinamarquesas recomendaram também que não mais que 10 pessoas se reunissem para as festas natalícias.

As novas restrições baseiam-se no agravamento da situação epidémica: na última semana, foram registadas diariamente entre 1.100 e 1.700 novas infeções, e hoje 2.046, revelou o ministro da Saúde, Magnus Heunicke.

O Instituto Serológico, órgão de referência em epidemias na Dinamarca, estimou no seu último relatório que, se novas restrições não fossem introduzidas, o número poderia aumentar para 4.000 novas infeções diárias antes do Natal e que poderia haver tantos internamentos de pacientes com Covid-19 como em abril.

Nas últimas duas semanas, a Dinamarca registou uma incidência média de 346,5 novas infeções por cada 100.000 habitantes e um total de 878 mortes, com uma taxa de mortalidade de 15,14 por cada 100.000 habitantes.