Coronavírus

Covid-19 na Alemanha. Merkel defende restrições ainda mais duras

País registou esta quarta-feira o número mais alto de mortes por covid-19 desde o início da pandemia.

Saiba mais...

No dia em que a Alemanha regista um novo recorde diário de mortes por covid-19, a chanceler Angela Merkel disse no Parlamento que as restrições em vigor não estão a conseguir conter a pandemia no país.

Merkel pede, por isso, ainda mais contenção nas épocas festivas e admite que já não sabe como intervir, sem interferir.

ATUAIS RESTRIÇÕES ATÉ DIA 10 DE JANEIRO

A chanceler alemã, Angela Merkel, e os chefes de governo dos estados federais decidiram na semana passada uma prorrogação até dia 10 de janeiro das atuais restrições.

No início de novembro, entrou em vigor uma paralisação parcial da vida pública, mas Angela Merkel e os chefes de governo dos estados federais decidiram estender e apertar algumas restrições para dezembro para minimizar os contactos e tentar conter a pandemia de covid-19.

Durante o Natal haverá uma certa flexibilização das medidas para permitir a celebração com a família ou amigos, elevando o número máximo de reuniões para 10 (onde os menores de 14 anos não contam), embora com possibilidade de medidas mais duras nas regiões com incidência particularmente alta.