Coronavírus

Sindicato dos enfermeiros diz que critérios para contratação são "limitativos"

Celso Silva afirma que "a maior parte dos colegas vão ficar de fora" por não reunirem as condições exigidas.

Saiba mais...

Esta quarta-feira, os enfermeiros estiveram em protesto na região do Porto e de Beja. O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses exige a contratação definitiva dos enfermeiros com vínculo precário contratados para responder à pandemia de covid-19.

A aprovação pelo Governo da entrada de 912 enfermeiros nos quadros, não é suficiente para o sindicato. Afirmam que não chega para dar resposta às necessidades do Serviço Nacional de Saúde e, para além disso, discordam dos critérios definidos.

“O decreto de lei é tão limitativo que a maior parte dos colegas vão ficar de fora. Desde logo porque só permite a conversão em contratos sem termos aos colegas com contratos no âmbito do covid-19, que tenham 8 meses em dezembro. Portanto, todos os outros colegas mais recentes com contratos covid-19 ficam de fora. E também ficam de fora todos os colegas com contratos de substituição”, afirma Celso Silva, dirigente do sindicato dos Enfermeiros Portugueses.

No interior do país, a falta de profissionais é acentuada pela dificuldade em entrar para o quadro. Os enfermeiros estão em protesto há vários meses por todo o país. Lutam também contra horários excessivos e turnos consecutivos sem justa compensação.