Coronavírus

Marie foi obrigada a casar com 16 anos em troca de comida e dinheiro

ONU diz que este ano, em todo o mundo, poderá haver mais de 13 milhões de meninas forçadas a casarem.

Saiba mais...

As Nações Unidas dizem que a crise económica provocada pela pandemia, em muitos países, está a levar a um aumento no número de meninas obrigadas a casarem, muito antes de serem maiores de idade.

É o caso de Marie, uma menina de 16 anos que vive numa pequena aldeia da Serra Leoa, foi forçada a casar, com um homem com quase o dobro da idade dela, em troca de um dote de 50 euros, e dois pratos de comida por dia.

O dinheiro foi para os pais, que têm mais 4 filhas, e a quem a pandemia arruinou um pequeno negócio de costura.

Marie sonhava ser enfermeira. Agora, cuida da casa, da família e das terras do marido.

Apesar de todas as campanhas para acabar com o casamento de menores, na Serra Leoa, e em tantos outros países, a verdade é que continua a acontecer. As estatísticas oficiais dizem que tinham baixado, para menos de 40% de todos os matrimónios. Mas a profunda crise económica, provocada pela pandemia, está a levar cada vez mais famílias, a darem as filhas a homens mais velhos, em troca de dinheiro, terras ou animais.

Já Mariama ainda não tinha 16 anos quando casou e já está grávida. O pai de Mariama tem duas mulheres e 10 filhos para alimentar e não hesitou em aceitar o pouco que recebeu do homem a quem vendeu a filha em casamento.

A ONU diz que este ano, em todo o mundo, poderá haver mais de 13 milhões de meninas forçadas a casarem.