Coronavírus

Covid-19. Quase 4 mil profissionais de saúde de hospitais do Porto recebem vacina

Rui Flórido

Rui Flórido

Repórter de Imagem

Manuel Mealha

Manuel Mealha

Repórter de Imagem

Lúcia Amorim

Lúcia Amorim

Editora de Imagem

No hospital de São João, está previsto que mais de 2.000 profissionais sejam vacinados este domingo. No Centro Hospitalar e Universitário do Porto, que inclui o Santo António e o Centro Materno-infantil do Norte, a vacinação dos cerca de 1.800 profissionais será feita ao longo de 3 dias.

Saiba mais...

Ao longo de 10 horas está previsto administrar 2.125 vacinas no hospital de São João, a uma média de 200 unidades por hora. A tarefa está atribuída a uma centena de profissionais.

Marta Temido sublinha que a opção de começar por vacina profissionais de saúde é sobretudo pragmática e assegura que em Janeiro a vacinação vai chegar aos lares.

O São João preparou-se ao detalhe e ao segundo para esta operação de logística que envolveu várias entidades. Há 25 postos prontos para vacinar e uma área para receber eventuais casos urgentes.

Marta Temido fez saber que, até ao momento, não há indicação de haver reações adversas à vacina.

No hospital de Santo António e no Centro Materno-Infantil do Norte, foram selecionados 1795 profissionais consoante a experiência de risco. A segunda dose da vacina será administrada daqui a 3 semanas, a 17 de janeiro.

  • Colin Powell: o último republicano moderado

    Mundo

    Serviu os últimos três Presidentes republicanos pré-Trump (Reagan, Bush pai, Bush filho) e ajudou a moldar a política externa da direita clássica na viragem do século. A partir de Obama, apoiou sempre os democratas, numa sólida barragem ao populismo demagógico, que sempre recusou. Era patriota, bravo, mas sempre racional. Vai fazer muita falta.

    Opinião

    Germano Almeida

  • Vamos falar de jejum: era capaz de ficar 16 horas por dia sem comer?

    País

    O jejum intermitente é um regime alimentar que impõe um período de restrição alimentar. Existem vários modelos, mas o mais conhecido é dividido em 16 horas de jejum e oito horas em que pode comer livremente. Os especialistas reconhecem benefícios nesta prática, mas afirmam que a investigação científica ainda é escassa.

    Exclusivo Online

    Filipa Traqueia