Coronavírus

"Dia histórico". O 1.º dia da vacinação contra a covid-19 em Portugal

JOSE COELHO

Rita Rogado

Rita Rogado

Jornalista

Foram vacinadas 4.534 pessoas no primeiro dia de vacinação em Portugal.

Saiba mais...

27 de dezembro de 2020, o dia que fica para a história de Portugal, e de tantos outros países europeus, como o primeiro dia de vacinação contra a covid-19.

Em Portugal, foram vacinadas 4.534 pessoas este domingo. Os profissionais de saúde dos centros hospitalares universitários do Porto, São João, Coimbra, Lisboa Norte e Lisboa Central foram os prioritários. Mais de nove meses depois do primeiro caso registado no país, o balanço do primeiro dia é positivo. No entanto, os especialistas deixam o alerta: as regras são para cumprir até que a imunidade de grupo seja atingida.

O Bastonário da Ordem dos Médicos, vacinado durante a manhã e sem qualquer efeito secundário ao final do dia, garantiu que foi "rapidíssimo", "simples" e sem dor "nenhuma". A ministra da Saúde, Marta Temido, enalteceu o esforço de todos os profissionais.

A vacinação começou um dia depois da chegada do primeiro lote de vacinas da Pfizer-BioNTech a Portugal: 9.750. Vai ser reforçado com a antecipação da entrega de mais 70.200 doses, com chegada prevista para esta-segunda-feira.

Primeira pessoa a ser vacinada em Portugal, o médico António Sarmento, com a enfermeira que lhe administrou a vacina e a ministra da Saúde, no Hospital de São João, no Porto.

Primeira pessoa a ser vacinada em Portugal, o médico António Sarmento, com a enfermeira que lhe administrou a vacina e a ministra da Saúde, no Hospital de São João, no Porto.

JOSE COELHO

A primeira vacina contra a covid-19 em Portugal

A vacinação contra a covid-19 em Portugal começou no Hospital de São João, no Porto. António Sarmento, diretor do serviço de Infecciologia do hospital, foi a primeira pessoa a ser vacinada. Eram 10:07.

Tem 65 anos e pertence ao gabinete da Ordem dos Médicos. Professor da Faculdade de Medicina do Porto, tem um longo percurso na luta contra a SIDA, a gripe A e a tuberculose. É médico há mais de 40 anos.

Depois de ter sido o protagonista do momento histórico para o país, António Sarmento deixou palavras de tranquilidade e de otimismo em relação à segurança da vacina contra a covid-19.

O diretor do serviço de Infecciologia recebeu a vacina das mãos da enfermeira Ana Isabel Ribeiro, enfermeira dos cuidados intensivos do mesmo hospital, que esteve sempre na linha da frente do combate à covid-19. Agora fica também para a história como a primeira pessoa a administrar a vacina em Portugal.

A enfermeira descreveu a vacinação como um momento de esperança.

"É uma honra estar aqui. Foram meses muito duros, vimos doentes muito mal, doentes que não conseguimos salvar e outros que refizeram as suas vidas com restrições", disse.

A primeira vacina foi dada numa sala exclusivamente preparada para os jornalistas registarem este momento histórico. Uma sala mais ampla onde aconteceu apenas esta imunização.

Vacinação no Porto. Objetivo "ambicioso e difícil" cumprido

No Hospital de São João, no Porto, foram vacinadas este domingo 2.125 pessoas. O número foi avançado pelo presidente do Conselho de Administração do hospital, que adiantou também não foram registadas reações "adversas graves", apenas "seis ou sete casos de reações ligeiras".

"Foi um dia de confiança e de esperança. Tínhamos programado algo ambicioso e difícil: vacinar 2.125 profissionais. Depois de um dia que foi longo, conseguimos vacinar 2.125 profissionais. Isto não nos impele a reduzir a segurança do processo. Vamos e temos todos de manter as normas de segurança que são necessárias para cumprir com o objetivo de imunidade que a todos nos motiva", disse Fernando Araújo.

O responsável falava aos jornalistas ao lado da cadeira onde o primeiro português foi vacinado contra a covid-19.

Foi neste hospital que foi administrada a primeira vacina contra o vírus SARS-CoV-2. Por volta das 13:00 deste domingo, o hospital já tinha mais de 500 profissionais de saúde vacinados.

O Bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, foi um deles, pela atividade na área da transplantação renal. Recebeu a vacina às 11:45. Disse que foi "rapidísismo", "simples" e sem dor "nenhuma". Na ocasião, apelou aos portugueses para não terem medo de se vacinarem.

"O repto que deixo aos portugueses é que não tenham medo de se vacinar", disse, considerando que este é "um ato de cidadania".

Foram montados nas consultas externas 25 postos de vacinação e uma área para receber eventuais casos urgentes.

Até terça feira, vão ser administradas 600 vacinas por dia. A segunda dose da vacina será administrada daqui a três semanas, a 17 de janeiro.

Vacinação em Lisboa. "Vamos desmistificar. Não podemos ter medo"

No Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central (CHULC) foram vacinados mais de 1.241 profissionais de saúde. O Centro Hospitalar abrange os Hospitais de São José, Capuchos, Santa Marta, Dona Estefânia, Curry Cabral e a Maternidade Alfredo da Costa.

O processo de vacinação decorreu entre as 10:30 e as 21:30 em 16 postos criados para o efeito no Hospital de São José e no do Curry Cabral.

A primeira vacina em Lisboa foi dada a uma médica internista do Hospital de Santa Maria, Sandra Braz, que acompanha doentes covid desde março. O processo teve início no piso 9 do no Hospital de Santa Maria.

No Hospital Curry Cabral, o primeiro a ser vacinado foi o médico de medicina interna e especialista na área da nefrologia Fernando Nolasco. O profissional considera que foi "um honra" ter sido escolhido para começar a vacinação. No entanto, diz que a batalha contra a covid-19 está ainda longe do fim.

Bem-disposto, comparou-se com Marcelo Rebelo de Sousa e desapertou a camisa para ser vacinado pela enfermeira diretora Maria José da Costa Dias.

Para esta segunda-feira, dia 28 de dezembro, está agendada a vacinação de mais 831 profissionais de saúde.

Vacinação em Coimbra. Vacinadas 60 pessoas por hora

Coimbra foi outro dos locais onde este domingo decorreu a vacinação de profissionais da saúde. Foram vacinadas 60 pessoas por hora.

Nos Hospitais Universitários de Coimbra, a primeira profissional de saúde a ser vacinada foi Letícia Ribeiro, diretora do serviço de Hematologia do hospital, por volta das 10:30. Aos jornalistas, destacou a importância deste processo de vacinação para a vida dos hospitais.

Os profissionais que acompanham doentes infetados com covid-19 nos cuidados intensivos foram os primeiros a ser vacinados em Coimbra. O objetivo é vacinar 720 pessoas por dia até terça-feira.

A ministra da Saúde, Marta Temido, esteve presente.

Ministra da Saúde: "A união torna-nos mais fortes"

Marta Temido acompanhou no Porto e em Coimbra a administração da primeira dose da vacina da Pfizer em Portugal.

Começou o dia no Centro Hospitalar de São João, no Porto, onde foi administrada a primeira vacina. Durante a tarde de domingo passou pelo Centro Hospitalar Universitário de Coimbra.

A responsável voltou a sublinhar a importância da vacina para o combate à pandemia e agradeceu a união dos profissionais de saúde. Recordou também os critérios que sustentam o Plano Nacional de vacinação contra a covid-19.

Esta segunda-feira, no dia em que vão chegar a Portugal mais 70.200 doses da vacina da Pfizer, a ministra vai visitar os hospitais Curry Cabral e Santa Maria, em Lisboa.

Portugueses com expectativa, ansiedade e confiança

No dia em que arrancou em Portugal a vacinação contra a covid-19, muitos portugueses reagem com expectativa, ansiedade e confiança. A SIC foi falar com alguns transeuntes.

Depois de Lisboa, Porto e Coimbra, a vacinação contra o coronavírus arranca na terça-feira nos restantes hospitais do país.

No Algarve, os três hospitais aguardam cerca de 900 doses de vacina. Os profissionais de saúde vão ser vacinados em três dias. 2.500 querem ser vacinados.

Primeiro-ministro diz que é um dia "de alento e esperança"

O primeiro-ministro, António Costa, publicou uma mensagem no Twitter para assinalar o começo do plano de vacinação contra a covid-19 em Portugal, um processo que "dá alento e esperança".

"Há dias que ficarão para sempre nas nossas memórias. Como previsto, arrancou o processo de vacinação, que nos ocupará durante meses e que nos obriga a manter todos os cuidados. Mas é um dia de alento e esperança que nos dá força para continuar a trabalhar com a mesma determinação", lê-se na página oficial do líder socialista.

"Vamos ter de usar máscara e respeitar distanciamento até atingirmos imunidade de grupo"

O Bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, garantiu que está bem e que, até agora, não teve sintomas adversos, depois de ter recebido a vacina contra a covid-19.

Em entrevista na SIC Notícias, lembrou que é necessário ter 70% dos portugueses vacinados para termos a imunidade de grupo, "para ganharmos a guerra".

"Enquanto isso não acontece, vamos ter de usar máscara e a respeitar distanciamento físico durante vários meses. Pelo menos, até ao verão", disse.

CDS critica "espetáculo mediático" da vacinação

O presidente do CDS condenou este domingo aquilo que considerou o "espetáculo mediático" do começo do plano de vacinação, nomeadamente pela ministra da Saúde, além da SMS da Proteção Civil aos portugueses.

"O espetáculo mediático da ministra com a chegada da vacina, a juntar ao envio do aviso por telemóvel a todos os portugueses, quando a maioria da população será vacinada apenas daqui a meses e quando ainda há tanto a fazer e que já devia ter sido feito, é irresponsável e induz uma sensação triunfal que é falsa", afirmou o presidente do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, numa nota enviada à comunicação social.

Contudo, o líder dos democratas-cristãos reconheceu que "é um marco de felicidade e de esperança", embora não sendo "o fim do vírus" que tem provocado a pandemia de covid-19.

"Não devemos embandeirar em arco. Não sabemos quando teremos todas as vacinas"


Luís Marques Mendes destacou na SIC, no seu espaço de comentário de domingo à noite, os avanços da ciência na descoberta da vacina contra a covid-19.

No entanto, o comentador da SIC alertou para os portugueses moderarem as expectativas, uma vez que se trata de um processo lento.

SEGUNDA E TERCEIRA FASE DA VACINAÇÃO EM PORTUGAL

A segunda fase só deverá arrancar em abril do próximo ano e será para pessoas com mais de 65 anos ou mais novos, entre 50 e 64 anos, se tiverem pelo menos uma doença grave, como diabetes, neoplasia maligna, insuficiência hepática ou renal, obesidade e hipertensão arterial, por exemplo.

Para a terceira fase, não há propriamente uma data, uma vez que só começa quando terminar a segunda. É nesta fase que toda restante população poderá receber a vacina contra a covid-19.

Veja também: