Coronavírus

Covid-19. Ministro da Educação anuncia reforço da Internet nas escolas

Jorge Silva

Considera que é a "maior operação logística" e "verdadeira reforma" do sistema de ensino.

Saiba mais...

O ministro da Educação anunciou esta segunda-feira que nas próximas semanas vai ser feito um "reforço da Internet" nas várias escolas do país, considerando esta aposta na digitalização a "maior operação logística" e "verdadeira reforma" do sistema de ensino.

"O Ministério da Educação nas próximas semanas vai fazer um reforço da Internet nas escolas. É um importante reforço na velocidade da Internet das escolas, na capacidade da Internet das escolas com uma prioridade muito grande ao áudio e vídeo para que sempre que for necessário os professores possam contactar com os estudantes que não estão nas escolas", afirmou o ministro.

Tiago Brandão Rodrigues, que falava à margem de uma visita à Escola Básica Dr. Costa Matos, em Vila Nova de Gaia, disse que está a ser desencadeada "a maior operação logística de digitalização da escola pública".

"O que está a acontecer neste momento é uma verdadeira reforma em termos de digitalização da nossa escola e é esta escola digital que nós queremos a funcionar", referiu.

Em resposta aos jornalistas, o ministro disse que além dos 100 mil computadores, que já foram distribuídos durante o primeiro período pelos alunos do ensino secundário do escalão A e escalão B, está prevista a entrega de mais 260 mil computadores.

"Os 100 mil computadores foram distribuídos no primeiro período. Já tinha anunciado que a compra dos 260 mil computadores foi feita e durante este segundo período começará a ser feita a distribuição desses computadores", garantiu.

O ministro afirmou ainda que, apesar do processo de digitalização já estar no programa de Governo, a pandemia da covid-19 "veio catalisar e acelerar todo o processo".

"No programa de estabilização económica e social estavam alocados 400 milhões de euros, estão alocados agora novos 500 milhões de euros no programa de resiliência e recuperação para a digitalização das escolas, para apetrechar as escolas, mas também para formar os nossos docentes, não docentes e podermos desmaterializar todo o material pedagógico", afirmou.

Arranque do 2.º período

O segundo período de aulas começou esta segunda-feira. Até março, vai ter 55 dias.

As federações de pais e professores estão preocupados e sugerem um misto de aulas na escola e em casa. No entanto, o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, diz que as escolas estão preparadas para aulas presenciais esta fase da pandemia.

A Fenprof sugere testes a toda a comunidade escolar.