Coronavírus

Covid-19. Brasil contabiliza 197.732 mortes e mais de 7,8 milhões de infetados

Raphael Alves

Os números confirmam o país sul-americano, com seus 210 milhões de habitantes, como um dos epicentros globais da pandemia.

Saiba mais...

O Brasil registou 197.732 mortes e 7.810.400 infeções por covid-19 desde 26 de fevereiro, quando o primeiro caso da doença foi notificado no país, informou esta terça-feira o Ministério da Saúde.

Em 24 horas, o país sul-americano registou 56.648 casos e 1.171 óbitos provocados pelo novo coronavírus.

O Governo brasileiro também destacou que 6.963.407 pessoas infetadas já recuperaram da doença, enquanto que 649.261 pacientes contaminados estão sob acompanhamento médico.

Por outro lado, um consórcio formado pela imprensa brasileira, que colabora na recolha de informações junto das secretarias de Saúde estaduais, anunciou que o país totalizou 197.777 óbitos e 7.812.007 infeções por covid-19.

O mesmo levantamento dos 'media' indicou que o Brasil somou 1.186 vítimas mortais e 57.447 casos confirmados de covid-19 nas últimas 24 horas.

O Brasil é o segundo em número de mortes provocadas pela covid-19 no mundo, atrás dos Estados Unidos (353.131 óbitos), e o terceiro em número de casos, atrás dos Estados Unidos, que soma mais de 20,7 milhões de infetados, e da Índia, com 10,3 milhões de infetados.

O Governo brasileiro confirmou nesta terça-feira que negoceia a compra de dois milhões de doses da vacina de Oxford contra a covid-19 fabricada na Índia, frisando que não há proibição para exportação de imunizantes produzidos por farmacêuticas indianas.

"As negociações entre a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o Instituto Serum da Índia para a importação pelo Brasil de quantitativo inicial de doses de imunizantes contra a covid-19 encontram-se em estágio avançado, com provável data de entrega em meados de janeiro", disse uma nota dos ministérios da Saúde e das Relações Exteriores do Brasil.

O país não aprovou a aplicação de nenhum imunizante contra a covid-19 e recentemente aumentou seus esforços para comprar vacinas e começar um plano de imunização em massa ainda sem data definida.

Nesta terça-feira, a cidade brasileira de Manaus, localizada na região amazónica, declarou estado de emergência por 180 dias devido a um aumento de casos de covid-19 que deixou seu sistema de saúde a beira de um colapso.

Manaus tem cerca de 2,2 milhões de habitantes e registou cerca de 3.478 mortes desde o início da pandemia.