Coronavírus

Covid-19. Reino Unido quer vacinar todos os adultos até ao outono

VICTORIA JONES / POOL

O Reino Unido é o país europeu como maior número de óbitos por covid-19.

Especial Coronavírus

O Reino Unido, cujo serviço nacional de saúde se encontra sob forte pressão, pretende vacinar contra a covid-19 toda a população adulta até ao outono, disse este domingo o ministro da Saúde britânico, Matt Hancock.

"É claro que começamos com os mais vulneráveis", mas "todo o adulto receberá uma vacina até ao outono", disse o ministro, em declarações à BBC, citadas pela agência France Presse (AFP).

A Associated Press avança, por seu lado, que milhares de pessoas com mais de 80 anos estão a ser contactadas para tomarem a vacina contra o novo coronavírus, com o Reino Unido a tentar cumprir o objetivo de vacinar 15 milhões de pessoas até meados de fevereiro.

Com 80.868 mortes, o Reino Unido é o país europeu como maior número de óbitos por covid-19.

Os últimos dados oficiais indicam que o índice de transmissibilidade efetivo (Rt) no Reino Unido aumentou para entre 1.1 e 1.4 e, na quinta-feira, estavam internadas nos hospitais 32.294 pessoas infetadas pelo novo coronavírus, 3.089 em unidades de cuidados intensivos.

Desde 23 de março de 2020, mais de 305 mil pessoas já estiveram internadas no Reino Unido devido à covid-19.

Na sexta-feira, o Reino Unido registou os valores mais altos de mortes e de novos casos desde o início da pandemia: 1.325 óbitos e 68.053 novos casos de contágio

Também na sexta-feira, o presidente da Câmara Municipal de Londres, Sadiq Khan, admitiu que a situação "é crítica, com o vírus a espalhar-se fora de controlo".

"A realidade é que vamos ficar sem camas para pacientes nas próximas duas semanas se a propagação do vírus não diminuir drasticamente", advertiu o autarca, indicando que o número de casos em Londres ultrapassou os 1.000 por 100.000 habitantes, uma das taxas mais elevadas no país.

A situação levou o Governo a reforçar o confinamento, tendo decidido encerrar as escolas até, pelo menos, meados de fevereiro, e cancelar os exames, incluindo os de acesso ao ensino superior.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.926.570 mortos resultantes de mais de 89 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.