Coronavírus

EUA compram 1,25 milhões de doses de medicamentos para o tratamento de doentes covid

JUSTIN LANE

São os mesmos medicamentos utilizados pelo Presidente Donald Trump quando esteve infetado.

Especial Coronavírus

Os Estados Unidos vão comprar mais 1,25 milhões de doses de medicamentos com anticorpos monoclonais para o tratamento de doentes com covid-19, utilizados pelo Presidente Donald Trump quando esteve infetado, informou a farmacêutica Roche.

A compra é resultado de um acordo entre os departamentos de Saúde e da Defesa dos Estados Unidos, e aumentará para 1,5 milhões o número de doses disponíveis no país, o mais afetado pela pandemia em todo o mundo, segundo um comunicado da Roche.

Os medicamentos deste 'cocktail' de anticorpos, chamados Casirivimab e Imdevimab, são distribuídos pela farmacêutica Regeneron, no mercado dos Estados Unidos, e pela Roche, no resto do mundo.

A agência de controlo de medicamentos dos Estados Unidos (FDA) aprovou recentemente o uso de emergência desses medicamentos (depois de Trump os ter utilizado, quando esteve contaminado com o novo coronavírus), que são indicados principalmente para pacientes de alto risco (por exemplo, idosos) que apenas apresentem sintomas moderados de covid-19, não requerendo, portanto, hospitalização.

Segundo a Roche, os EUA fornecerão essas doses sem custo aos pacientes, nos centros de saúde que, no entanto, podem exigir o pagamento de algumas taxas administrativas.

A aquisição destes medicamentos, cujo custo não foi divulgado pela Roche, será concluída durante os primeiros seis meses deste ano.

O Casirivimabe e o Imdevimabe foram desenvolvidos por cientistas da Regeneron para bloquear a infecciosidade do coronavírus SARS-CoV-2, que causa a doença de covid-19, e estão a ser testados em outros países, como o Reino Unido.

Perante um grande número de vacinas contra a covid-19, os resultados na busca de tratamentos eficazes contra a doença têm sido menores, e alguns deles, inicialmente aprovados pela Organização Mundial de Saúde (OMS), foram posteriormente abandonados, por falta de eficácia.

O mais eficaz, por agora, é o Dexametasona, um corticosteroide muito acessível no mercado internacional (que aparentemente também foi dado a Trump), mas que está recomendado apenas para o tratamento de casos graves de covid-19.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 1.963.557 mortos resultantes de mais de 91,5 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.