Coronavírus

Multa até 1.000 euros para quem não usar máscara na rua

Rafael Marchante / Reuters

Valores das multas duplicaram neste novo confinamento geral devido à pandemia.

Especial Coronavírus

As multas para quem não respeitar as regras do confinamento foram agravadas, muitas para o dobro.

  • Quem não usar máscara nos locais obrigatórios pode levar uma multa até mil euros.
  • A coima para as empresas que não cumpram o teletrabalho obrigatório pode chegar aos 61 mil e 200 euros.
  • No caso dos passageiros que se recusem a fazer um teste à chegada ao aeroporto, a multa pode ir dos 300 euros aos 800 euros.

O primeiro-ministro sublinha que a duplicação do valor das multas é um sinal de determinação de que é fundamental cumprir quer as regras individuais e quer as coletivas.

"Todas as coimas que estão previstas por violação de qualquer uma das normas relativas às medidas de contenção da pandemia, desde logo a obrigatoriedade do uso de máscara na via pública, serão duplicadas", afirmou António Costa.

Também o não cumprimento do teletrabalho nas atividades laborais em que isso é possível vai sofrer um agravamento nas penalizações.

"Para assegurar o cumprimento desta obrigação do teletrabalho, nós consideramos muito grave a coima decorrente da violação desta obrigação", disse o primeiro-ministro.

Segundo António Costa, este agravamento das multas serve para "sinalizar a todos que a responsabilidade individual tem de se combinar com a solidariedade coletiva" e para que "haja um sinal claro de que é fundamental fazer um esforço acrescido para conter a pandemia no momento mais perigoso".

As novas medidas do estado de emergência

O primeiro-ministro anunciou esta quarta-feira as novas medidas de confinamento geral, ao abrigo do projeto de decreto presidencial de estado de emergência.

António Costa reiterou que as medidas de confinamento geral, que entram em vigor a partir das 00:00 de 15 de janeiro, sexta-feira, estão projetadas para vigorar um mês, mas adiantou que o Governo vai reavaliá-las dentro de 15 dias.

Portugal com 156 mortes e 10.556 casos de covid-19 em 24 horas

Na quarta-feira, Portugal registou mais 156 mortes relacionadas com a covid-19 e 10.556 novos casos de infeção com o novo coronavírus, os valores diários mais elevados desde o início da pandemia, segundo o boletim Direção-Geral da Saúde.

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 8.236 mortes e 507.108 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, estando esta quarta-feira ativos mais 5.940 casos, num total de 116.328.

Quanto aos internamentos hospitalares, o boletim epidemiológico da DGS revela que estão internados 4.240 doentes, mais 197 em relação a terça-feira, das quais 596 em cuidados intensivos, menos 3.

Pandemia já matou quase 1,98 milhões pessoas no mundo

A covid-19 já matou pelo menos 1.979.596 pessoas no mundo e infetou 92.321.290 desde o início da pandemia, em dezembro de 2019, segundo o levantamento realizado hoje pela agência de notícias AFP de fontes oficiais.

Pelo menos 56.637.400 pessoas já foram consideradas curadas.

Na quarta-feira, 16.024 novos óbitos e 725.790 novos casos foram registados em todo o mundo.

Os países que registaram o maior número de novas mortes em seus levantamentos mais recentes são os Estados Unidos com 3.912 novas mortes, Reino Unido (1.564) e Brasil (1.274).

Links úteis

Mapa com os casos a nível global