Coronavírus

Grávida com covid-19 deu à luz em coma induzido

Um caso raro no mundo.

Saiba mais...

Uma mulher de 31 anos, grávida de seis meses, esteve ligada a uma ECMO - a máquina que substitui o coração e os pulmões e que é usado como equipamento de resgate para doentes muito graves - durante quase um mês no Hospital de Santa Maria, em Lisboa. Por o bebé estar em perigo, os médicos decidiram realizar o parto com a mãe em coma induzido. Um caso raro no mundo.

O bebé nasceu a 19 de novembro com 29 semanas de gestação e pouco menos de 1,40 quilos. O parto, realizado por nove profissionais de saúde, aconteceu num bloco de ginecologia transformado numa das várias unidades de cuidados intensivos que o Santa Maria tem para doentes covid-19.

Antes de partirem para a cesariana, as equipas médicas ponderaram todas as possibilidades, com várias reuniões para discutir a situação clínica. A mãe tinha pré-eclampsia, uma infeção generalizada, e a ligação à ECMO aumentava o risco de hemorragia grave no parto.

O bebé acabou por nascer sem problemas de maior, tendo precisado apenas de ajuda para respirar durante algumas horas. Ficou internado já depois da mãe ter tido alta.