Coronavírus

Covid-19. Estacionamento gratuito em Lisboa para profissionais de saúde prolongado até junho

Medida aprovada esta terça-feira por unanimidade na Assembleia Municipal de Lisboa.

Saiba mais...

A Assembleia Municipal de Lisboa aprovou esta terça-feira, por unanimidade, a manutenção da gratuitidade de estacionamento para as equipas de saúde do Serviço Nacional de Saúde (SNS) diretamente envolvidas no combate à pandemia de covid-19 até 30 de junho.

A proposta já tinha sido discutida em dezembro pela autarquia lisboeta, que considera que estes profissionais "continuam a registar necessidades específicas de acesso a estacionamento, sendo previsível que estas necessidades se mantenham, pelo menos até ao início do verão de 2021".

Segundo adiantou esta terça-feira o vereador da Mobilidade, Miguel Gaspar, a medida abrange cerca de 2.400 profissionais.

Em março do ano passado, o município liderado por Fernando Medina (PS) decidiu suspender o pagamento do estacionamento na via pública gerido pela EMEL (Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa) devido à pandemia de covid-19.

Em maio, com a progressiva atenuação das medidas iniciais de confinamento, a câmara repôs o pagamento do estacionamento, mantendo, porém, a gratuitidade de estacionamento para os profissionais de saúde do SNS até ao final de dezembro.

Veículos com dísticos

Na sessão plenária de hoje da Assembleia Municipal de Lisboa, os eleitos aprovaram, também por unanimidade, uma recomendação para que "todos os veículos com dísticos emitidos ao abrigo do Regulamento Geral de Estacionamento e Paragem na Via Pública, que se encontrassem válidos em 15 de janeiro de 2021 e que, entretanto, atinjam o termo da validade, possam continuar a aceder aos lugares exclusivos a residentes nas zonas indicadas no dístico até 28 de fevereiro".

"A aplicação desta regra deverá ser estendida no caso das medidas de confinamento geral se prolongarem para além desta data", acrescenta o documento.

No entanto, em resposta, o vereador da Mobilidade, Miguel Gaspar (PS), disse que neste momento "não há razão nenhuma, quer para famílias, quer para comerciantes, de prolongar o prazo dos dísticos tal como se fez da outra vez".

"A recomendação do PS recupera aquilo que é a proposta de câmara, que foi feita no início da pandemia, em março. Hoje estamos mais bem preparados do que estávamos então do ponto de vista do atendimento remoto e muitas pessoas já conseguiram regularizar dístico", referiu o vereador.

Durante a discussão, o deputado municipal Ricardo Moreira, do BE, defendeu que "a gratuidade de estacionamento em todo o concelho de Lisboa" deve voltar neste "novo período de confinamento geral". Sobre esta questão, Miguel Gaspar não teceu quaisquer comentários.

  • 16:26