Coronavírus

Covid-19. "Isto já não é uma onda, é um tsunami que está a varrer tudo à sua passagem"

A entrevista ao presidente do Conselho de Administração do Hospital Beatriz Ângelo, onde os doentes covid representam 65%.  

Saiba mais...

O presidente do Conselho de Administração do Hospital Beatriz Ângelo disse esta quarta-feira o que se está a viver com a pandemia de covid-19 já não é mais uma onda, mas sim um tsunami que "está a varrer tudo à sua passagem".

Numa entrevista à SIC, Artur Vaz revelou que o hospital de Loures tem 65% da sua capacidade preenchida com doentes covid e que tem cada vez mais dificuldade em arranjar camas e resposta para os doentes que procuram ajuda.

"O que falha hoje é a esperança de não termos solução para os doentes que nos procuram amanhã."

Gestor hospitalar há 35 anos, garantiu que nunca viveu nada assim. Falou numa situação "avassaladora" e na exaustão dos profissionais de saúde.

"Uma situação angustiante em que sentimos uma grande impotência para ir fazendo face à procura que é crescente e as soluções começam a escassear."

Artur Vaz considerou que as soluções não estão dentro do hospital, pois os recursos já foram estendidos até ao limite. Disse que já não é possível pedir mais aos profissionais de saúde, que estão em sofrimento.

"Os doentes e os profissionais de saúde estão em sofrimento"

Portugal regista novos máximos diários de mortes e casos de covid-19

Portugal regista esta quarta-feira novos máximos: mais 219 mortes relacionadas com a covid-19 e 14.647 novos casos de infeção, segundo o boletim da Direção-Geral da Saúde.

O máximo diário de mortes tinha sido registado esta terça-feira, com 218 óbitos a lamentar.

O máximo de casos de infeção tinha sido de 10.947 registado a 16 de janeiro.

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 9.465 mortes e 581.605 casos de infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, estando esta quarta-feira ativos 143.776 casos, mais 7.935 em relação a terça-feira.

Quanto aos internamentos hospitalares, o boletim epidemiológico da DGS revela que estão internados 5.493 doentes, mais 202 em relação a terça-feira, das quais 681 em cuidados intensivos, mais 11.