Coronavírus

Covid-19. Portugal é o país do mundo com mais mortes por milhão de habitantes

JOSE SENA GOULAO / LUSA

País registou esta sexta-feir um novo máximo diário de mortes por covid-19.

Saiba mais...

A mortalidade por covid-19 continua a subir e Portugal é agora o país do mundo com mais mortes por milhão de habitantes, tendo ultrapassado o Reino Unido e a República Checa na média dos últimos sete dias.

Portugal registou esta sexta-feira mais 234 mortes por covid-19 - um novo máximo diário.

Na última semana, a linha negra tem vindo a subir todos os dias. O valor português ultrapassou agora todos os países que dão conta dos dados da pandemia, até mesmo o Reino Unido, onde a mortalidade em 2020 foi a mais elevada desde II Guerra Mundial, devido à pandemia.


Novo máximo diário de mortes por covid-19

Portugal registou esta sexta-feira mais 234 mortes por covid-19 - um novo máximo diário - e 13.987 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o relatório de situação da Direção-Geral da Saúde.

Desde o início da pandemia, Portugal contabiliza 9.920 mortes e 609.136 casos de infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, estando esta sexta-feira ativos mais 6.434 casos em relação a ontem, totalizando 157.660 casos - o número mais alto de sempre.

Quanto aos internamentos hospitalares, o boletim epidemiológico da DGS revela que estão internados 5.779 doentes, mais 149 em relação a quinta-feira, dos quais 715 em cuidados intensivos, mais 13 - valores que também representam novos máximos desde o início da pandemia.

As autoridades de saúde têm sob vigilância 200.730 contactos, mais 7.830 relativamente a ontem.

O boletim revela ainda que foram dados como recuperados mais 7.319 doentes. Desde o início da pandemia em Portugal, em março, já recuperaram 441.556 pessoas.

Morgues hospitalares lotadas: contentores de frio estão a ser requisitados por hospitais

Muitos hospitais estão a reforçar a capacidade das morgues.

Vários contentores de frio foram colocados nos hospitais de Santa Maria, Curry Cabral, Amadora Sintra, Centro hospitalar do Barreiro e também no Hospital das Forças Armadas.

Em Lisboa, o tempo de espera para a cremação está em quatro dias nos Olivais e as funerárias já pediram a simplificação dos processos.

Para evitar maior pressão sobre as morgues dos hospitais, a Associação das Empresas Lutuosas pediu à Direção Geral da Saúde para acabar com velórios e passagem por locais de culto nos funerais não covid.

Hospital de Santa Maria volta a ter fila de ambulâncias para deixar doentes

Imagens captadas esta sexta-feira mostram uma fila de ambulâncias à espera de deixar os doentes no Hospital Santa Maria, em Lisboa.

É mais uma situação que reflete a rutura dos hospitais na região de Lisboa e Vale do Tejo perante o aumento de casos de infeção.

O Santa Maria faz parte do centro Hospitalar de Lisboa Norte, que, juntamente com o Pulido Valente, têm 262 camas destinadas a casos covid-19, das quais 252 estão ocupadas

Hospitais da região Norte registam taxa de ocupação superior a 85%

Os maiores hospitais do Porto continuam a receber doentes de outras unidades. Deram entrada no S. João, na última semana, sete doentes tranferidos de Lisboa O mesmo número no Santo António, que tem neste momento uma taxa de ocupação na enfermaria e nos cuidados intensivos de cerca de 80%.

Em Matosinhos está a ser adiada metade da cirurgia eletiva e a ocupação do hospital está quase esgotada. Em Braga, a pressão aumenta a cada dia e obriga a uma gestão de camas cada vez mais difícil.

No Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa a lotação está completa, se contarmos com a assistência dada a todos os doentes com e sem covid. O hospital vai abrir um novo espaço com quatro camas para aumentar a resposta nos cuidados intensivos.

Em Vila Nova de Gaia não foi ainda necessário interromper a atividade programada urgente. O hospital tem recebido doentes infetados transferidos de outras unidades, mas diz que está também perto do limite.

Os últimos dados da Adminsitração Regional de Saúde, que se mantém sem alterações desde quinta-feira, mostram que nos hospitais da região Norte estão internados 1.261 doentes covid em enfermaria e 237 em unidades de cuidados intensivos. O que representa uma taxa de ocupação acima dos 85%.