Coronavírus

Hospitais de retaguarda vão acolher 2.300 doentes com covid-19

Há 28 estruturas de apoio espalhadas pelo país.

Saiba mais...

Os hospitais de retaguarda, em todo o país, vão poder acolher mais de dois mil doentes com covid-19. É um apoio ao Serviço Nacional de Saúde e já conta com quase trinta estruturas em todos os distritos de Portugal Continental.

Com os Hospitais à beira da rutura, as unidades de apoio estão prontas para aliviar a pressão e libertar espaço nas enfermarias.

Em Lisboa, o hospital de campanha instalado no Estádio Universitário estava pronto para abrir no verão, mas os recursos humanos não eram suficientes. Esta unidade tem uma capacidade para 58 camas e conta com 19 médicos, 20 enfermeiros e 15 assistentes.

No total, a rede de apoio conta com uma capacidade para prestar cuidados a 2.300 doentes. Mais a Norte, em Viseu, há cerca de 20 pessoas internadas e, por isso, a estrutura vai estender-se. A Proteção Civil está a preparar o Pavilhão de Multiusos da cidade onde há mais 60 camas.

Na região Centro, será reativado o antigo Hospital Militar de Coimbra e ao Hospital de Campanha do Fontelo, em Viseu, chegaram os primeiros doentes do Centro Hospitalar Tâmega e Sousa.

Também a Pousada da Juventude de Alijó, em Vila Real, pode vir a funcionar como um Hospital de Campanha. A equipa está pronta e é constituída por um médico, seis enfermeiros e cinco operacionais.

Cabe à Proteção Civil preparar os espaços e suportar as despesas necessárias. A Segurança Social canaliza os auxiliares de ação direta e cada ARS disponibiliza os serviços médicos.