Coronavírus

Covid-19. "Precisámos de um planeamento a nível nacional. Isto é medicina de catástrofe"

Entrevista a Vítor Almeida, médico do Gabinete de Crise da Ordem dos Médicos.

Saiba mais...

Vitor Almeida, membro Gabinete de Crise da Ordem dos Médicos e Presidente do Colégio de Emergência Médica, considera a atual situação grave nos hospitais de norte a sul do país. No entando, ressalva que os recursos disponíveis no interior e a "capacidade de jogar com as peças do tabuleiro é totalmente difente".

Questionado sobre a possibilidade de existir uma política específica para o interior do país, o médico responde que não são necessárias políticas específicas por região, mas sim um planeamento coordenado a nível nacional.

"A Ordem dos Médicos já falava de redes de transferência nacionais, plenear antecipadamente este cenário. Este será o Natal mais caro da história de Portugal", disse.

Numa entrevista à SIC Notícias, Vítor Almeida apontou medidas que podem ser parte da solução: "focar no comando e controlo, organização, organização e, mais uma vez, organização".

"Tem que haver uma coordenação muito forte, centralizada, com imensa comunicação, que é a chave para o sucesso", refere o médico.

Neste momento, o combate é feito com o fecho de camas para doentes não covid, revela Vítor Almeida, acrescentando que, mais uma vez, os grandes prejudicados vão ser os doentes não covid que vão ficar para segundo plano.

O médico vê com bons olhos a possibilidade de transferir doentes para o estrangeiro, uma medida que o Governo pondera face ao crescente número de internamentos por covid-19.

"O foco deve ser Portugal e, em última instância, parceiros com uma situação epidemiológica controlada"