Coronavírus

Covid-19. Renovação do estado de emergência prevê possibilidade do encerramento de fronteiras

Marcelo Rebelo de Sousa reunido com partidos para discutir renovação do estado de emergência. 

Saiba mais...

O Presidente da República esteve reunido esta terça-feira por videoconferência com alguns dos partidos que têm assento parlamentar, para discutir a renovação do estado de emergência, imposto devido à pandemia de covid-19.

A próxima renovação do estado de emergência prevê o encerramento de fronteiras, caso se justifique.

"O diploma será muito semelhante ao último que foi votado. Terá ligeiras alterações, sobretudo por causa do encerramento de escolas, a venda de livros e a possibilidade de se fechar fronteiras caso isso seja necessário", relatou Mariana Silva, deputada do PEV.

Os Verdes esperam que os centros de saúde não sejam sobrecarregados e a Iniciativa Liberal, Chega e PAN mostraram-se preocupados com o ensino à distância.

Marcelo diz que estado de emergência deverá ser renovado nos termos em vigor

O Presidente da República afirmou esta terça-feira que, se houver autorização do parlamento, o estado de emergência deverá ser renovado nos mesmos termos do decreto presidencial em vigor e com o mesmo conjunto geral de medidas do Governo.

"Hoje à tarde e amanhã [quarta-feira] ouvirei os partidos, mas parece que tem toda a lógica, perante as medidas tomadas na passada sexta-feira, que esta renovação do estado de emergência seja, no fundo, o prolongamento da renovação anterior, integrando as medidas que foram tomadas", declarou Marcelo Rebelo de Sousa aos jornalistas.

O chefe de Estado, que falava no final de uma visita ao Hospital das Forças Armadas, em Lisboa, acrescentou: "Quer dizer, no geral que se esperará é que haja renovação, mas depende de autorização final da Assembleia da República, nos termos em que estão em vigor, quer no decreto presidencial, quer no conjunto geral de medidas, incluindo as acabadas de tomar pelo Governo. É o que logicamente deverá acontecer".

  • O cartão amarelo que não se percebe 

    Opinião

    Despir a camisola aquando da celebração de um golo é proibido pelas leis de jogo. Penso que toda a gente sabe disso. Aliás, basta apenas que um qualquer jogador cubra a cabeça usando essa peça de equipamento para ser sancionado.

    Duarte Gomes