Coronavírus

Vacinação de titulares de órgãos de soberania. Ordem dos Enfermeiros "frontalmente contra" a prioridade

Governo decidiu abrir a porta à possibilidade de vacinar contra a covid-19 políticos na próxima fase de vacinação.

Saiba mais...

O Governo reajustou o plano de vacinação e incluiu titulares de cargos políticos na fase que começa na próxima semana. No entanto, há muitos que recusam ser considerados prioritários.

O Governo decidiu abrir a porta à possibilidade de vacinar políticos na próxima fase de vacinação e António Costa pediu às respetivas entidades que enviassem uma lista dos titulares de cargos que devam ser considerados prioritários. Mas quando de tal se soube, no Parlamento, os partidos mostraram-se contra uma vacinação geral dos deputados.

A Ordem dos Enfermeiros enviou uma carta ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, "frontalmente contra a inclusão de autarcas e outros titulares de cargos públicos nos grupos prioritários", quando nem os enfermeiros que estão as brigadas de intervenção rápida dos lares estão a ser vacinados, nem estudantes de enfermagem que contactam com doentes covid, nem enfermeiros que trabalham no privado.

À SIC, fonte do Governo disse que, por enquanto, foi apenas pedido o levantamento das prioridades que serão definidas tendo em conta as vacinas disponíveis em cada momento.