Coronavírus

Quase 6 mil médicos voluntariaram-se para o combate à pandemia, mas nunca obtiveram resposta

Quase um ano depois um grupo de 140 profissionais de saúde escreveu ao Presidente da República e ao Governo a reiterar que continuam disponíveis.

Saiba mais...

Ficou sem resposta a proposta de milhares de médicos que, em março, se ofereceram para trabalhar voluntariamente no combate à covid-19.

Aos desafios lançados pela Ordem dos Médicos desde março do ano passado, para que todos se apresentassem no combate à pandemia, responderam quase seis mil profissionais. Médicos que estão fora do Serviço Nacional de Saúde ou que estão reformados e que se ofereceram para ajudar o país.

Quase um ano depois um grupo de 140 profissionais de saúde escreveu ao Presidente da República e ao Governo a reiterar que estão disponíveis.

Estes médicos não entendem como é que não são chamados quando todos os dias se fala em falta de recursos humanos no Serviço Nacional de Saúde.