Coronavírus

Pediatras alertam para riscos no futuro se as aulas presenciais não forem retomadas

Consideram urgente que as crianças voltem ao ensino presencial e sublinham consequências "inquestionáveis" na saúde infantil. 

Saiba mais...

Cada dia mais em que as escolas estão vazias, as crianças não desenvolvem capacidades, agravam-se desigualdades, a saúde mental, o relacionamento social e familiar, o risco de obesidade e de outras doenças.

Deste modo, os pediatras pedem a reabertura urgente das escolas. É a primeira vez que saem em defesa da reabertura das escolas.

Num apelo publicado no site da Sociedade Portuguesa de Pediatria, consideram que o impacto da covid-19 nas crianças está a fazer-se sentir com consequências que serão tanto mais graves quanto mais tempo demorar o regresso ao ensino presencial.

"A aproximação ao normal poderá ter de ser faseada, com avaliação contínua e adequada, mas tem de ser rápida e programada de forma consistente", referem.

"As crianças de risco social elevado, que têm na escola momentos de normalidade, de segurança e alimentação adequada, estão ainda mais propensas ao risco causado pelo distanciamento. Recordamos que, muitas vezes, é da escola que parte o primeiro alerta que dá início a investigação e medidas de proteção", alertam.

Dona Estefânia regista aumento de 50% no número de jovens com problemas de ansiedade

O Hospital Dona Estefânia, em Lisboa, registou no início do ano um aumento de 50% no número de crianças e jovens que entraram na urgência com problemas de ansiedade e humor. Os médicos dizem que, nesta fase, os pais precisam de mais tempo para acompanhar os filhos em casa.

De janeiro a fevereiro mais de 80 crianças e jovens deram entrada na urgência do hospital D.ª Estefânia e tiveram contacto com a pedopsiquiatria. Alguns queixam-se também de problemas em dormir ou perturbações alimentares.

Só neste hospital houve um aumento de quase 50% do número de crianças com problemas de ansiedade e humor. É uma exceção à regra, já que a pandemia, no geral, fez diminuir o número de jovens internados por motivos psiquiátricos.

  • 2:33