Coronavírus

Pandemia aumenta pedidos de ajuda psicológica entre jovens e desempregados

Ansiedade, depressão e insónias são os principais sintomas reportados.

Saiba mais...

Os pedidos de ajuda psicológica aumentaram nesta fase da pandemia, sobretudo entre os jovens e desempregados. Os resultados são de um estudo do Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa. Os especialistas avisam que a procura por ajuda psicológica vai aumentar ainda mais depois da crise sanitária.

Ansiedade, depressão e insónia são os sintomas mais registados em novos doentes que estão a ser tratados e em outros que já estava estabilizados, mas acusam recaídas.

Entre os pedidos que vão chegando ao Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa, os jovens entre os 18 e os 25 anos e os desempregados são os que mais se destacam. A procura por estes serviços deve-se ao agravamento de dependências de álcool, jogo e internet.

Os pedidos de ajuda têm sido respondidos, apesar dos constrangimentos criados pela pandemia. O Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa tem-se adaptado à nova realidade e as teleconsultas são, agora, ferramentas utilizadas para tratar os pacientes.

Entre os profissionais de saúde, a incerteza, depressão, ansiedade e o sentimento de culpa são os principais inimigos que os acompanham enquanto lutam na linha da frente. Os especialistas acreditam que o impacto na saúde mental vai ser a pegada pandémica que se irá verificar a longo prazo.

O Serviço Nacional de Saúde disponibilizou uma linha de aconselhamento psicológico que poderá consultar através do número da Saúde24.

Veja o especial Saúde Mental