Coronavírus

“Eu e a pandemia”: a feirante que tem saudades de voltar à Feira da Ladra

Sandra Raposo é feirante há 32 anos, mas desde março de 2020 só conseguiu trabalhar cinco meses.

Saiba mais...

O último plano de desconfinamento gradual, apresentado pelo Governo, anuncia que a reabertura das feiras não alimentares irá acontecer a 5 de abril. Incerteza, insegurança e falta de apoios são as queixas de quem depende de uma atividade que durante 2020 esteve quase sempre parada. No “Eu e a pandemia” conheça o relato de uma feirante de Lisboa.

Sandra Raposo é feirante há 32 anos, mas desde março de 2020 foram raras as vezes que voltou à feira. Desde março que os feirantes só trabalharam cinco meses, e este ano ainda não conseguiram ter um dia de trabalho. A Feira da Ladra sempre foi o sítio onde Sandra fez as suas vendas, agora é na internet que promove as suas peças.

A associação que representa esta atividade já pediu celeridade nas respostas municipais para o regresso das feiras, que está previsto no desconfinamento a partir de 5 de abril. O objetivo é permitir a quase 300 famílias voltar a trabalhar.