Coronavírus

Covid-19. "É extremamente perigoso ter fluxo de pessoas vindas do Brasil e da África do Sul"

Manuel Carmo Gomes considera "extremamente perigosa" a abertura dos voos para regiões onde existem novas variantes do SARS-CoV-2.

Saiba mais...

O plano de desconfinamento devido à covid-19 vai prosseguir para a segunda fase na próxima segunda-feira. No entanto, o Rt – o índice que mede a transmissibilidade da doença – apresenta uma tendência ascendente. A nova fase da reabertura coincide com o fim de semana da Páscoa e Manuel Carmo Gomes, epidemiologista, sublinha que “há algumas razões para ter preocupações”.

“O Rt tem vindo a apresentar tendência ascendente. É inevitável que nós vamos passar para o lado direito do quadrado verde [do gráfico apresentado pelo Governo]. A outra razão é que tem de haver uma sincronia entre a velocidade em que nós estamos a desconfinar e a velocidade da vacinação. São duas forças contrárias: à medida que desconfinamos o número de contactos e de contágios aumentos, mas é importante que esses contactos, cada vez mais, se deem com pessoas que já estão protegidas, idealmente vacinadas”, explica o especialista em entrevista à Edição na Noite.

Apesar da tendência crescente do Rt, Carmo Gomes considera que a "linha vermelha" que não se deve ultrapassar é a incidência de 240 casos por 100 mil habitantes. O epidemiologista, em conjunto com outros especialistas da área, realizou um documento onde são explicados quais os passos que o Governo deve seguir nos diferentes cenários - inclusive quando o Rt ultrapassar o valor de 1.

Carmo Gomes reforça a importância da vacinação no controlo dos indicadores e na quebra de contágios. No entanto, lembra que este processo de inoculação não está a correr à velocidade que tinha sido inicialmente prevista, devido aos atrasos nas entregas por parte das farmacêuticas.

“Em Portugal ainda temos uma quantidade de pessoas suficientemente grande para poder ser infetada e termos um ressurgimento da doença”, lembra.

Para além dos riscos que o controlo da pandemia irá enfrentar nas próximas semanas, identificados pelo epidemiologista, Carmo Gomes considera ser “extremamente perigoso” que sejam retomados os voos para o sul da América e de África.

“De cá para lá, provavelmente não tem problema. Agora de lá para cá, sou absolutamente contra. É extremamente perigoso, neste momento, ter fluxo de pessoas vindas da América do Sul e da África do Sul porque a doença está muito longe de estar controlada no Brasil. E tanto a África do Sul como o Brasil têm uma variante que não é a variante inglesa, tem uma mutação que lhe permite grande transmissibilidade e, infelizmente, também aparenta ter mutações que podem conferir capacidade de evasão dos anticorpos que são induzidos quando tomamos a vacina”, afirma.